Herpes – Como tratar os sintomas naturalmente

Herpes – Como tratar os sintomas naturalmente

Herpes é uma das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) mais comuns, e muitos se perguntam como se livrar do herpes naturalmente.

O problema é que o vírus do herpes pode permanecer dormente dentro do sistema imunológico de uma pessoa por toda a vida, causando, periodicamente, bolhas que estouram e se transformam em úlceras antes de cicatrizar.

Elas podem aparecer nos lábios e também na região genital.

Como se livrar dos sintomas do herpes?

Quando não tratadas, as úlceras herpéticas geralmente duram cerca de 10 a 14 dias e são bem desconfortáveis – causam vermelhidão, dor, queimação e frequentemente constrangimento social.

Embora tecnicamente o vírus que causa o herpes, seja na boca ou na região genital, não seja curável, existem muitos remédios naturais para herpes que podem fazer com que a doença regrida.

Na verdade, muitas pessoas com herpes não apresentam nenhum sintoma, especialmente a longo prazo, a partir do momento em que aprendem a controlar os agentes desencadeadores de surtos.

Portanto, embora não haja um guia sobre como se livrar totalmente do herpes de forma natural, há um método para se livrar dos sintomas de maneira natural e manter longe as vesículas, as bolinhas que estouram e viram úlceras.

Ao estimular adequadamente o sistema imunológico por meio de uma dieta saudável, fazendo mudanças no estilo de vida e sendo cauteloso durante os períodos de erupções ativas, você pode ajudar a manter qualquer vírus latente, incluindo o herpes.

Certas etapas podem reduzir significativamente as chances de ter sintomas repetidos de herpes e diminuir o risco de você transmitir o vírus para outra pessoa.

Mas primeiro vamos definir exatamente o que é herpes

O herpes, seja na boca ou nos genitais, é causado por uma família de mais de 70 vírus relacionados.

Essas infecções virais causam o desenvolvimento de pequenas bolhas cheias de líquido na pele e nas membranas mucosas.

Na verdade, existem oito tipos diferentes de vírus herpes simplex que crianças e adultos podem adquirir, mas dois são de longe os mais comuns: HSV-1 e HSV-2.

O HSV-1

O agente mais comum do herpes labial na boca é a infecção pelo HSV-1.

O HSV-1 geralmente causa erupções ao redor dos lábios ou boca.

Qualquer um de nós pode ser infectado pelo HSV-1 desde a infância, e então o vírus pode permanecer latente no corpo até que o sistema imunológico seja enfraquecido por qualquer motivo, e aí os sintomas podem vir à tona.

O HSV-2

O HSV-2 é comumente designado como herpes genital porque geralmente causa o surgimento de feridas ao redor da genitália.

Na verdade, o herpes genital é a causa número 1 de úlceras genitais em todo o mundo, de acordo com o Órgão americano CDC – Centro de Controle e Prevenção de Doenças, e afeta aproximadamente 1 em cada 3 adultos (embora a maioria dos infectados nem saiba disso).

Ambos os tipos de vírus mais comuns do herpes, HSV-1 e 2, são altamente contagiosos e podem causar herpes tanto nos lábios como nas regiões íntimas.

Mas como detectar o vírus?

No Brasil, os testes diretos de detecção do vírus por coleta de swab não são comuns, portanto por aqui os testes indiretos sorológicos são mais comuns.

Esse exame sorológico de sangue consiste em medir o número de anticorpos contra herpes presentes no corpo.

Os anticorpos não indicam herpes em si, mas mostram a resposta do sistema imunológico à presença do vírus no corpo.

E os sintomas mais comuns do herpes?

sintomas mais comuns da herpes

  • Uma única vesícula ou bolinha cheia de líquido;
  • Ou mais comum ainda um grupo de várias vesículas que se formam nos lábios
  • Dentro da boca ou nos órgãos genitais, nádegas e coxas.

Os sintomas do herpes tipo 2 nos homens geralmente ocorrem na base do pênis e nas mulheres na região da genitália externa, vulva, vagina e colo do útero.

As feridas às vezes podem ser grandes, dolorosas e ao romper-se causam a liberação de fluido.

Ao redor do herpes labial, é comum sentir dor, sensibilidade, vermelhidão ou sinais de inchaço.

Algumas pessoas são capazes de perceber que um surto vai ocorrer, porque sentem uma sensação de formigamento e coceira perto da área afetada.

Algumas pessoas desenvolvem sintomas gripais durante os surtos de herpes, que são fadiga, irritabilidade, dores ou uma leve febre.

Como se contrai o herpes?

As formas mais comuns de adquirir herpes são contato pelo beijo ou ainda sexual.

Então as infecções por HSV-1 e HSV-2 são adquiridas pelo contato direto com alguém que é portador do vírus.

Alguns fatores vão facilitar a infecção do vírus, como a supressão do sistema imunológico e, às vezes, deficiências nutricionais.

As secreções infecciosas que passam pelo HSV-1 ou HSV-2 vivem nas superfícies da mucosa oral, genital ou anal.

Eles são transmitidos por transmissão pele a pele e qualquer forma de contato direto com feridas na boca, nádegas ou órgãos genitais.

O HSV-1 é transmitido principalmente por contato oral-oral.

Por outro lado, o HSV-2 (ou herpes genital) é considerado uma doença sexualmente transmissível e geralmente transmitido durante o sexo oral ou vaginal.

Aumento dos casos de herpes genital

Uma descoberta assustadora é que mais casos de herpes genital do que nunca estão sendo causados pelo HSV-1 (o tipo que a maioria das pessoas supõe que só causa feridas na boca), e cerca de 85% das pessoas com herpes genital nem sabem disso.

Estudos mostram que cerca de 50% das novas infecções por herpes genital em adultos jovens são devidas ao HSV-1 e cerca de 40% em adultos mais velhos.

O fato de que a maioria das pessoas nunca descobre que está infectada é uma das razões pelas quais as taxas de transmissão estão subindo constantemente.

Mais quais seriam os fatores de risco para adquirir herpes?

  1. Beijar alguém que tem sintomas de herpes em atividade é um deles.
  2. Outro fator é qualquer forma de sexo desprotegido (incluindo sexo oral).
  3. Também sexo com múltiplos parceiros ou parcerias.
  4. E outras formas de contato direto de lesões herpéticas com outras partes do corpo, como é o caso dos olhos.

Formas de tratamento

Convencional

O jeito convencional e ortodoxo de tratamento é com antivirais, o aciclovir, o famciclovir e o valaciclovir.

No caso do aciclovir, ele pode ser usado como comprimido ou como pomada de uso tópico local.

Os outros, famciclovir e valaciclovir normalmente são usados somente na forma oral.

Não há vacina disponível ainda, somente para o vírus da catapora e herpes zoster, que apesar do nome é outro vírus, apesar de fazer parte da mesma família.

No entanto, é importante compreender que mesmo com a detecção precoce e usando os antivirais, nenhuma das formas do vírus do herpes pode ser totalmente curada – somente suprimida – portanto, a transmissão ainda é possível.

Remédios para vírus nem sempre funcionam a longo prazo e não são a cura para tudo.Informações gerais sobre a doença

Mais informações gerais sobre a doença

Antes de falarmos sobre as soluções, é importante algumas informações gerais sobre a doença.

Quando ocorre um surto de herpes, o herpes labial leva cerca de 10 a 14 dias para cicatrizar, em média.

Durante esse período, o vírus é considerado ativo e você deve ter muito cuidado para evitar o contato direto entre a ferida e outra pessoa.

Se depois de tentar os remédios naturais para herpes que descreverei em seguida, se mesmo assim você ainda tiver recorrências frequentes, converse com seu médico ou médica.

Às vezes, a imunidade é suprimida devido a outra infecção ou vírus, ou mesmo como efeito colateral da ingestão de alguns medicamentos, portanto, certifique-se de excluir essas causas.

Se uma lesão do herpes ficar muito inflamada e formar pus, ela pode estar infectada.

Converse com seu médico se a situação se tornar acentuada, e especialmente se for seu primeiro surto e você quiser ter certeza de que não há outra causa para suas feridas.

Como tratar naturalmente?

Mas antes gostaria de dizer que nem todas as pessoas que já tiveram infecção por herpes vão ter crises repetidas ao longo da vida ou mesmo qualquer crise após a infecção inicial.

Tudo depende da resposta imunológica individual.

Isso vai determinar a frequência com que alguém tem surtos de herpes labial ou genital, a gravidade desses surtos e também o tempo que as feridas levam para cicatrizar.

Melhorar a ingestão de nutrientes

Melhorar a ingestão de nutrientes

Então a primeira medida é melhorar a ingestão de nutrientes.

Isso para melhorar a função imune.

Para isso inclua alguns alimentos curativos em sua dieta para manter o vírus dormente o quanto for possível.

Esses são alimentos ricos em L-lisina, que é um aminoácido que pode impedir a replicação do vírus do herpes.

Isso inclui:

  • Leguminosas;
  • Peixes;
  • Peru;
  • Frango;
  • Vegetais das cores laranja e vermelho

Tais vegetais incluem antioxidantes, como carotenóides, bioflavonóides e vitamina C que ajudam com a cicatrização da pele e aumentam a imunidade geral.

Os peixes selvagens e não de criação, são uma das fontes mais ricas em ácidos graxos ômega-3 essenciais, e ajudam na inflamação e reparação dos tecidos.

As fontes de proteína orgânicas, além dos peixes selvagens, como gado que come pasto e sem hormônios e antibióticos, essas são fontes de proteínas de alta qualidade que sem elas o corpo tem dificuldade de cicatrizar.

Tente ingerir pelo menos 120 a 150 gramas de proteína de qualidade por refeição.

Zinco ajuda controlar a herpes

zinco ajuda controlar a herpes

Você já deve ter ouvido falar do mineral zinco, muito mencionado no meu canal.

Ele é necessário em muitas reações químicas que ajudam a reconstruir a pele e também proteger o corpo de vírus ou infecções.

Ele também é fundamental na prevenção e tratamento do COVID-19..

Descobriu-se que formas de uso local, ou tópicas do zinco são eficazes não apenas para o tratamento das lesões herpéticas, mas também para prevenção das remissões, ou seja, ajuda a não deixar voltar.

Para aumentar a ingestão de alimentos ricos em zinco, consuma mais fontes de proteína:

  • Carnes de vísceras orgânicas;
  • Fígado de carne de vaca alimentada com capim;
  • Sementes de abóbora;
  • Ostras;
  • Nozes;
  • Espinafre.

Evitar todos os alimentos inflamatórios

Evitar todos os alimentos inflamatórios também vai ajudar muito.

Açúcar

Isso porque suprime a função imunológica e pode piorar a inflamação.

Todos os alimentos industrializados, especialmente:

  • Bebidas engarrafadas;
  • Lanches embalados;
  • Produtos aromatizados como iogurte;
  • Cereais;
  • Barras de granola;
  • Grãos refinados.

Comidas processadas

Além do açúcar, as comidas processadas tem adição de ingredientes derivados de plantas geneticamente modificados, óleos de sementes hidrogenados e grãos que podem enfraquecer a função imunológica.

Esses alimentos tendem a causar sensibilidades ou alergias, agravamento da inflamação e fornecem somente calorias vazias, sem verdadeira nutrição.

Álcool

O próximo item é o álcool.

Altas quantidades de álcool (além do fumo e de outras drogas) suprimem a função imunológica e podem piorar sintomas como fadiga, dores e inflamação da pele.

Alimentos ácidos

Além disso temos os alimentos ácidos: eles podem irritar a mucosa das lesões herpéticas no momento da crise e piorar a queimação ou ardência.

Durante a crise evite tomates, laranjas, vinagre ou outras frutas cítricas para evitar que o ácido encoste em feridas abertas, e piora a situação.

Mas fora das crises, esses alimentos são saudáveis e devem ser incluídos em sua dieta com frequência.

L-arginina

Mesma coisa a respeito de alimentos ricos em L-arginina, durante a crise deverão ser evitados.

Ele serve como se fosse o contrário do aminoácido lisina que é protetor contra o vírus.

Este aminoácido pode estimular ligeiramente a replicação do vírus do herpes.

Os alimentos que devem ser diminuídos na época dos surtos são os que contêm trigo (que é o caso da maioria dos carboidratos refinados) e chocolate.

Mais quais seriam os suplementos recomendados?

Existem ervas antivirais, como é o caso:

  1. Eu uso muito em consultório a suplementação de L-lisina, o aminoácido protetor, nas crises pode ser usado até 3 gramas por dia e de 500 a 1000 mg para prevenção.
  2. Outro agente natural interessante é o extrato de erva-cidreira: pode ser aplicado como um creme tópico.
  3. Tomar 1 grama de vitamina C por dia melhora o sistema imune e ajuda a combater o herpes.
  4. O uso do zinco quelado 30 mg por dia, como agente antiviral que é, ajuda muito.
  5. O complexo B ajuda o seu corpo a lidar com o estresse e pode prevenir crises também.

A Vitamina D3

Existem evidências de que doses altas de vitamina D3 por poucos dias podem ser bem eficientes.

Houve um grande número de sucessos com pessoas que usaram até 50.000 unidades uma vez por dia durante três dias.

Seria particularmente eficaz se você não toma vitamina D regularmente e não tem exposição frequente ao sol.

Se você teve seus níveis de vitamina D testados e estão dentro da faixa terapêutica, então claramente você deveria usar essa abordagem, pois você pode ter uma overdose de vitamina D.

No entanto, se você tiver níveis normais de vitamina D, na faixa baixa de normalidade laboratorial, você deverá utilizar essa abordagem.

Sabemos que a vitamina D em níveis terapêuticos, o que significa em níveis no limite superior da normalidade, isso funciona para gripes e resfriados.

Ainda parece funcionar para quase todos os tipos típicos de infecções virais – até mesmo infecções como herpes.

Óleos essenciais

Os óleos essenciais podem ajudar muito.

Os principais são óleo de cravo, óleo de melaleuca e óleo de mirra.

O melaleuca é um dos óleos mais comuns usados na pele por suas propriedades antivirais naturais e antibacterianas.

Você pode aplicar esses óleos essenciais três vezes ao dia nas áreas com feridas, tendo o cuidado de usar uma quantidade muito pequena (apenas uma a três gotas).

Se você tem pele sensível, experimente misturar os óleos essenciais com um óleo carreador.

Os principais deles são o de coco ou jojoba.

Outras medidas

Outras medidas são o uso de:

Receita caseira para feridas

Vou ensinar a vocês uma receita caseira com um remédio que você pode aplicar diretamente sobre as feridas.

Os ingredientes são os seguintes, tome nota aí:

  • 1 colher de chá de bicarbonato de sódio;
  • 2 colheres de sopa de suco de aloe vera;
  • Meio copo de água morna.
  • Combine todos os ingredientes em um pequeno copo ou caneca e misture bem.
  • Tome um pequeno gole e bocheche a mistura na boca por pelo menos 10 segundos.
  • Cuspa e repita a operação até que acabe a porção que você fez.
  • É importante não engolir.
  • Repita isso 1x ao dia até que a ferida da boca cicatrize completamente.

Se tiver alguma observação ou sugestão, deixe aqui nos comentários.

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

Fosfatidilserina para melhora da Atenção, Concentração e memória

Fosfatidilserina para melhora da Atenção, Concentração e memória A fosfatidilserina combate o declínio na memória e nas habilidades de pensamento que podem ocorrer com o...

Como ficar muito tempo sentado pode afetar a sua saúde

Como ficar muito tempo sentado pode afetar a sua saúde Você passa muitas horas sentado? Você sabia que esse hábito pode lhe trazer inúmeros problemas...

Conheça os 6 tipos de Alzheimer

Conheça os 6 tipos de Alzheimer De acordo com dados atualizados, há uma estimativa de que existam 35,6 milhões de pessoas com Alzheimer no mundo,...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect