Porque carboidratos são solução para uns e veneno para outros?

Porque carboidratos são solução para uns e veneno para outros?

Uma questão que deve estar confundindo a cabeça de muita gente é em relação aos carboidratos que hoje são retratados como vilões e isso faz muitos nutricionistas tradicionais que não seguem a linha funcional torcerem o nariz.

Como é que podem existir visões tão antagônicas, tão diferentes, a respeito de um assunto que deveria ser consenso?

dr alain assista ao video

 

Você pode estar se perguntando porque seus pais e avós pareciam não ter problemas com alimentos como arroz e batata no passado e hoje parece que essas comidas engordam muito mais.

A maioria das nutricionistas hoje em dia, ainda trabalham basicamente com carboidratos usando como base a pirâmide nutricional tradicional, em que as farinhas e amidos estão na base da pirâmide.

carboidratos solucao ou veneno piramide alimentar padrao

Porém muitos outros, como eu, defendem a alimentação low carb.

Conheça a pirâmide alimentar saudável do do Dr. Alain Dutra

Enquanto isso, no mundo fitness, o padrão ainda é comer de 3 em 3 horas, com muita proteína e carboidrato.

Então nesse artigo a  minha missão e tentar desfazer essa confusão e esclarecer aqui que todos podem estar certos dentro de seus pontos de vista diferentes, dependendo de cada situação.

Estudos e fatores de mudanças

Teve um estudo nos anos 50, conduzido pelo epidemiologista Ansel Keys que demonizou as gorduras e priorizou o consumo dos carboidratos.

Esse estudo equivocado, que usou apenas dados de poucos países, enquanto estavam disponíveis muito mais localidades, levou a conclusões erradas que tem relação direta com a epidemia de obesidade dos dias atuais.

O fato é que os carboidratos de 50 anos atrás eram bem mais saudáveis, porque as plantas não eram geneticamente modificadas, não estavam tão cheias de metais tóxicos e pesticidas, o teor de glúten era bem menor, e tinham muito menos alimentos industrializados.

Hoje se você somar todas as fontes de carboidratos, associados a alimentos industrializados cheios de gorduras artificiais altamente maléficas, muito açúcar escondido e vários poluentes ambientais que imitam o estrogênio, tudo isso junto tem um efeito cumulativo que potencializa os efeitos dos carboidratos de um jeito que não acontecia no passado.

Eu vou aqui discutir dois padrões fisiológicos básicos

O padrão A que se enquadra na minha visão padrão que ajuda a maioria das pessoas que estão hoje doentes e que é a visão da medicina e nutrição funcional.

E o padrão B que se enquadra mais na visão dos nutricionistas tradicionais e também os esportivos.

Padrão A

Para o cidadão comum, que não malha, está intoxicado, fica o dia inteiro sentado, se estressa demais e dorme de menos, a carga hoje considerada padrão de carboidratos passa a ser demais, porque esse individuo tem intolerância a carboidratos.

O que deveria ser o nome verdadeiro das condições que a gente hoje chama de resistência insulínica, pré-diabetes e diabetes.

Assista meu vídeo sobre esse assunto

Então a dieta padrão para essa pessoa, que está acima do peso, deveria ser a cetogênica ou low carb.

Para esse público em especial até mesmo as frutas doces, que são cheias de nutrientes, são um problema.

Nesse grupo a insulina em excesso é veneno e leva a inflamação crônica e muitas doenças.

Assistam meu vídeo sobre síndrome metabólica, é mais longo mais vale muito a pena.

 

Padrão B

Já para a pessoa que está fisicamente ativa, menos intoxicada, menos estressada e dormindo relativamente bem, essa pessoa precisa comer muito carboidrato se quiser ganhar mais massa muscular, já que a insulina que para o indivíduo do padrão A é veneno para o padrão B é solução porque ela tem sensibilidade a insulina e essa insulina será usada para fabricar músculos.

Essa pessoa vai se beneficiar em comer de 3 em 3 horas e pode “descer o sarrafo” no arroz e na batata.

Perceba que não falei aqui macarrão e pão, porque esses alimentos hoje em dia tem glúten demais e tem ação inflamatória no intestino, abre demais a barreira intestinal. Também não falei de açúcar e docinho que é ruim para todo mundo.

Assista meu vídeo sobre barreira intestinal.

Então um dos meus principais trabalhos dentro do consultório hoje em dia é transformar as pessoas do padrão A para o B.

Essa transformação leva em média de um a dois anos para acontecer, o que é muito tempo para os padrões de imediatismo atuais, mas é a realidade.

Quando a pessoa vira o padrão B ela passa a tolerar boa parte da carga de carboidratos hoje considerada padrão nos nossos hábitos culturais.

Infelizmente muitas pessoas por questões de não conseguirem mudar os hábitos, o que é mais comum, ou raramente por genética muito ruim, não conseguem fazer essa transição. 

A individualidade bioquímica tem que ser respeitada, e o acompanhamento de um bom profissional nesses casos é fundamental.

É por isso que a água com limão ou o vinagre de maçã é tão bem falada pela maioria das pessoas mas sempre tem aquele grupo que não vai se dar bem com isso e vai falar que é porcaria.

Não é porcaria, é para isso que existe médico e nutricionista, hoje essas profissões precisam trabalhar com ações personalizadas.

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

O que é Alergia e Rinite Alérgica?

O que é Alergia e Rinite Alérgica? A principal função do nosso sistema imunológico é nos proteger de antígenos (substâncias estranhas ao organismo que desencadeiam...

Incontinência urinária – 6 tipos mais comuns e tratamentos

Incontinência urinária - 6 tipos mais comuns e tratamentos A incontinência urinária afeta 23-31% da população idosa e estima-se que afete 50-65% de ambos os...

Hormônios e ligação com Artrite

Hormônios e ligação com Artrite As doenças autoimunes são mais comuns em mulheres do que em homens e as condições inflamatórias autoimunes artríticas têm tendência...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect