Glúten e as desordens relacionadas ao seu consumo

Glúten e as desordens relacionadas ao seu consumo

O glúten (glutenina e gliadina) é a única proteína conhecida encontrada nos alimentos que nosso corpo não possui as ferramentas para decompor, sendo, assim indigesto para nós, seres humanos.

Na verdade, toda vez que ingerimos algum alimento que contém glúten, aumentamos a nossa permeabilidade intestinal.

Com o intestino hiperpermeável, partículas de alimentos podem vazar para a corrente sanguínea, e o nosso sistema imunológico pode vê-las como ameaças potenciais, iniciando uma resposta inflamatória, levando a reações imunológicas e uma ampla gama de sintomas potenciais.

Assista meu vídeo sobre como Como curar o intestino hiperpermeável

Devo eliminar o glúten da minha dieta?

Há controvérsias quanto à eliminação total do glúten das nossas dietas, caso não tenhamos alergia ou doença celíaca.

Mas eu acredito que uma dieta sem glúten pode ser o caminho para todos aqueles que buscam uma vida saudável.

A doença celíaca é apenas um dos vários distúrbios relacionados ao glúten, a sensibilidade ao glúten não celíaco é pelo menos seis vezes maior, e até 20 vezes mais frequente do que a doença celíaca.

Assista meu vídeo sobre o Essencial sobre digestão – Dietas Antiinflamatórias

Transtornos relacionados ao glúten

As três categorias mais reconhecidas de transtornos relacionados ao glúten são:

01 – Alergia

Na alergia ao glúten, o sistema imunológico percebe o glúten como uma ameaça e produz um tipo específico de anticorpo (conhecido como IgE), o que desencadeia uma reação alérgica que geralmente é imediata e muitas vezes grave.

As alergias são mais facilmente identificadas porque as reações aos alimentos ofensivos ou alérgenos são rápidas e fortes.

Os sintomas comuns de uma alergia ao glúten incluem:

  1. Inchaço, coceira ou irritação da boca ou garganta;
  2. Erupção cutânea ou inchaço da pele;
  3. Nariz tampado ou escorrendo;
  4. Cefaleias;
  5. Coceira nos olhos;
  6. Cólicas, náuseas ou vômitos;
  7. Diarreia.

Nas seguintes circunstâncias graves, não tão comuns listadas abaixo, procure tratamento de emergência imediatamente:

  • Dificuldade respiratória;
  • Anafilaxia;
  • Palpitações.

02 – Doença Celíaca

A doença celíaca é a doença mais conhecida relacionada ao glúten.

É uma doença autoimune que resulta em danos teciduais no intestino delgado, especificamente, nas pequenas vilosidades que revestem o intestino e promovem a absorção de nutrientes.

Alguns sintomas comuns da doença celíaca:

  1. Anemia;
  2. Fadiga;
  3. Náusea;
  4. Dor nas articulações;
  5. Cabelo fino;
  6. Pele sem brilho;
  7. Erupções cutâneas;
  8. Gás e inchaço;
  9. Diarreia;
  10. Problemas de crescimento em crianças

03 – Sensibilidade ao glúten não celíaco

A maioria de seus sintomas ocorrem fora do intestino e trato gastrointestinal.

Pessoas com sensibilidade ao glúten desenvolvem sintomas após comer glúten, mas a reação imunológica é diferente da que ocorre na doença celíaca.

Sensibilidade ao glúten não celíaco é mais comum do que a doença celíaca. Os sintomas mais comuns relatados em pessoas com sensibilidade ao glúten incluíram:

  • Inchaço (87%);
  • Dor abdominal (83%);
  • Falta de bem-estar (68%);
  • Cansaço (64%);
  • Dor de cabeça (54%);
  • Diarreia (54%);
  • Náuseas (44%);
  • Ansiedade (39%);
  • Névoa cerebral (38%);
  • Dormência (32%);
  • Refluxo gástrico (32%);
  • Dor articular/muscular (31%)

Principais exames utilizados para o diagnóstico

Os exames utilizados para o diagnóstico destes distúrbios são:

  1. Alergia: anticorpos IgE;
  2. Doença celíaca: anticorpos IgA e IgG anti-gliadina, auto anticorpos anti-endomísio e anti-transglutaminase tecidual. Exames genéticos para doença celíaca e a endoscopia com biópsia de duodeno;
  3. Sensibilidade ao glúten não celíaco: IgM e anticorpos IgA e IgG anti-gliadina. Exames de função intestinal podem ajudar, assim como exames genéticos.

Tratamento para transtornos relacionados ao glúten

A regra número 1 para lidar com distúrbios relacionados ao glúten é evitar o glúten.

Isto inclui inalá-lo, comê-lo, colocá-lo na nossa pele ou cabelo. Onde quer que nosso corpo o encontre, ele nos atacará se tivermos um problema com glúten.

Uma fonte constante de frustração para muitas pessoas que vivem um estilo de vida sem glúten é a contaminação cruzada e as fontes ocultas de exposição ao glúten.

O glúten escondido está em toda parte e muito cuidado e força de vontade são necessários para excluí-lo de nossas vidas, muitas vezes as pessoas não acreditam que um pouquinho de glúten pode estar causando tantos sintomas, mas acredite, pode sim.

Consulte um nutricionista!

Caso você decida excluir o glúten, consulte um nutricionista que pode guiá-lo no ajuste da sua dieta para não apenas excluir o glúten, mas para incluir alimentos que vão compensar as perdas nutricionais.

Com a ausência de glúten na nossa dieta, nosso microbioma pode mudar e podemos perder prebióticos que alimentam os probióticos em nosso intestino, então devemos fazer uma troca inteligente.

Outras alterações nutricionais ocorrem devido à mudança na dieta.

Se não lidarmos com essas mudanças, podemos acabar causando uma cascata inflamatória de eventos ao tentar resolver uma desordem relacionada ao glúten.

Também devemos ter cuidado ao trocar alimentos com glúten, por alimentos sem glúten industrializados e ricos em açúcar e gorduras hidrogenadas.

Você deve entender que ter uma alimentação saudável requer também desembalar menos e descascar mais.

Deficiências de nutrientes comuns no diagnóstico da doença celíaca

A doença celíaca é uma reação imune ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, cevada e centeio.

Comer glúten desencadeia uma resposta imune no intestino delgado que, com o tempo, danifica o revestimento do intestino e impede que ele absorva alguns nutrientes, levando a diarreia, fadiga, anemia, perda de peso e outras complicações como osteoporose e câncer.

Segundo um estudo realizado por pesquisadores da Mayo Clinic deficiências de micronutrientes, incluindo vitamina B12 e vitamina D, bem como folato, ferro, zinco e cobre, são comuns em adultos com o diagnóstico de doença celíaca.

O estudo também constatou que o baixo peso corporal e a perda de peso, comumente associados a esta doença, se tornaram menos comuns.

Sugerindo, assim, que a apresentação da doença celíaca mudou da perda clássica de peso, anemia e diarreia, com um número crescente de pacientes diagnosticados com sintomas não clássicos, tais como deficiências dos micronutrientes acima citados.

Estas deficiências também são encontradas em pacientes com sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC).

Pessoas com sensibilidade ao glúten desenvolvem sintomas (imediatos ou tardios) depois de comer glúten, mas a reação imunológica é diferente daquela que ocorre na doença celíaca.

A Sensibilidade ao Glúten contribui para a permeabilidade intestinal que por sua vez, define o cenário para doenças autoimunes e outras condições.

Os sintomas mais comuns em pessoas sensíveis ao glúten incluem:

  • Inchaço;
  • Dor abdominal;
  • Mal-estar;
  • Cansaço;
  • Dor de cabeça;
  • Diarreia;
  • Náusea;
  • Ansiedade entre outros.

Infelizmente, a maioria das pessoas com transtornos relacionados ao glúten não são diagnosticadas e tratadas.

Assista minha playlist sobre saúde intestinal

 

 

 

 

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

2 COMENTÁRIOS

  1. Você é fera demais! Dr. Alair, muito bom, esclarecedor, perfeito! O carinho, a dedicação e profissionalismo. Tem mudado toda minha vida e rotina! Agradeço a Deus por sua vida e inteligência!

  2. Olá,Dr. Alian,obrigado pelo trabalho,vc está ajudando muitas pessoas,com suas publicações,que vc seja bastante abençoado, por mostrar a verdadeira medicina das curas.Há dez anos atras estava doente sem ter saúde ia a vários especialistas,mas só piorava,mas como tinha conhecimentos técnico cientifico (química e bioquímica) comecei a pesquisar e minha 1ª orientação achei no SALUTIS com Dr Naif Thadeu,que seguindo a mesma orientação igual a sua,passei a ter uma saúde invejável,hoje aos quase 70 anos estou CURADO!! Dai fiz cursos com a Drª Denise Carreiro,atualmente, me tornei ATIVISTA da Medicina Integrativa,sempre indico,médicos da lista que vc divulgou.Mais uma vez muito obrigado por ser esse ser iluminado! Grande abraço!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

O que é Alergia e Rinite Alérgica?

O que é Alergia e Rinite Alérgica? A principal função do nosso sistema imunológico é nos proteger de antígenos (substâncias estranhas ao organismo que desencadeiam...

Incontinência urinária – 6 tipos mais comuns e tratamentos

Incontinência urinária - 6 tipos mais comuns e tratamentos A incontinência urinária afeta 23-31% da população idosa e estima-se que afete 50-65% de ambos os...

Hormônios e ligação com Artrite

Hormônios e ligação com Artrite As doenças autoimunes são mais comuns em mulheres do que em homens e as condições inflamatórias autoimunes artríticas têm tendência...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect