Alimentação sem glúten, existem prós e contras?

Alimentação sem glúten, existem prós e contras?

Seguir uma dieta ou alimentação sem glúten é uma necessidade crucial para muitos e uma escolha para outros.

No caso de Celíacos, sensíveis (SNCG) e alérgicos, seguir uma dieta controlada, até mesmo em pequenas contaminações, fazem a diferença no sucesso do controle da doença e/ou sintomas.

Eu sempre falo muito sobre a relação entre a alimentação sem glúten e a saúde geral, principalmente a saúde intestinal e autoimunidade.

O glúten foi associado a doenças autoimunes, digestivas e outras condições de saúde.

Existem várias teorias sobre porque o glúten pode causar ou piorar doenças autoimunes, como tireoidite de Hashimoto, diabetes tipo 1, doença de Graves e Artrite reumatoide.

5 fatores importantes sobre o glúten

1 – Vias imunológicas comuns

Doenças autoimunes compartilham genes e vias imunológicas comuns com a doença celíaca.

Na verdade, a doença celíaca está associada a um risco maior de ter doenças autoimunes adicionais.

Por exemplo, a prevalência da doença celíaca é estimada em até quatro vezes mais em pessoas com tireoidite de Hashimoto do que no público em geral.

2 – Mimetismo molecular

O mimetismo molecular é um mecanismo que tem sido sugerido como uma forma pela qual o glúten inicia ou piora doenças autoimunes.

É quando um antígeno estranho (do glúten) promove uma resposta imune – ele compartilha semelhanças com os antígenos do seu próprio corpo e pode levar à produção de anticorpos que reagem com os próprios tecidos do seu corpo.

3 – Aumento da permeabilidade intestinal

O glúten também foi associado ao aumento da permeabilidade intestinal e doenças intestinais, como a síndrome do intestino irritável e doenças inflamatórias intestinais.

Assista meu vídeo sobre síndrome do intestino irritável

4 – Evolução do sistema digestivo

Algumas pesquisas sugerem que o sistema digestivo humano não evoluiu para digerir o tipo ou a quantidade de proteínas dos grãos comuns nas dietas modernas.

5 – Outras proteínas do trigo

Alguns estudos mostram um possível papel em outras proteínas do trigo, como FODMAPs (tipos específicos de carboidratos), inibidores de tripsina de amilase e aglutininas de gérmen de trigo, em contribuir para os sintomas e reações relacionados ao glúten.

Principais motivos para adotar uma alimentação sem glúten

Existem vários motivos pelos quais a maioria das pessoas se sentem melhores com uma alimentação sem glúten.

Em primeiro lugar, evitar o glúten geralmente envolve reduzir os alimentos processados, pois é encontrado em uma ampla variedade de locais e de alimentos altamente processados, como fast food, produtos de padaria etc.

Esses alimentos não só contêm glúten, mas também são ricos em açúcar e gorduras prejudiciais à saúde.

Mas alguns alimentos SEM GLÚTEN, também são prejudiciais, da mesma forma.

É sem glúten, é saudável?!

Você decidiu por melhorar a alimentação, tirou o glúten da sua vida mas, trocou por produtos processados sem glúten, por pensar que são mais saudáveis? Não, em sua maioria NÃO SÃO!!

Existem produtos sem glúten até piores que os contendo glúten!

Trocar pão de forma de trigo por pão de forma sem glúten, não é nada saudável e você estará apenas gastando dinheiro.

A não ser que você tenha Doença Celíaca, alergia ou sensibilidade ao glúten, neste caso poderia justificar.

Mesmo para esse grupo, recomendo ficar atento as quantidades de farinhas refinadas de amidos como de arroz, polvilho e de milho e optar por variações com mais fibras.

Quanto menos alimentos processados, melhor!

Alimentação sem glúten pode te ajudar a melhorar sintomas, processos inflamatórios e até a perder peso, desde que seja de uma forma adequada e saudável.

Tenha uma variedade de alimentos naturais e com fontes boas de fibras e se for consumir algum alimento industrializado, leia sempre o rótulo.

Não estou sendo radical, existem sim produtos sem glúten que são bons e com melhores ingredientes.

O que posso então comer em uma alimentação sem glúten?

São inúmeras opções de alimentação sem glúten que lhe permitirão desfrutar de refeições saudáveis e deliciosas.

  1. Carnes, peixes e ovos;
  2. Queijos (caso você não tenha problemas com eles);
  3. Todas as Frutas e vegetais;
  4. Ervas e especiarias;
  5. Grãos e farinhas – Quinoa, trigo-sarraceno, sorgo, painço, amaranto, araruta, teff e aveia (se rotulado como sem glúten). Farinha de Batata-doce, farinha de grão-de-bico, farinha de amêndoa, de coco, de mandioca com fibras (zaya), farinha de linhaça, entre outras;
  6. Nozes e sementes – Castanhas, nozes, macadâmia, semente de girassol, pistache, semente de abóbora etc.

Gráfico de alimentação sem glúten x com glúten

Gráfico de alimentação sem glúten x com glúten
Fonte: https://semglutenonline.com.br/doenca-celiaca-alimentos-permitidos-e-proibidos/

Assista meu vídeo sobre glúten

 

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

O que é Alergia e Rinite Alérgica?

O que é Alergia e Rinite Alérgica? A principal função do nosso sistema imunológico é nos proteger de antígenos (substâncias estranhas ao organismo que desencadeiam...

Incontinência urinária – 6 tipos mais comuns e tratamentos

Incontinência urinária - 6 tipos mais comuns e tratamentos A incontinência urinária afeta 23-31% da população idosa e estima-se que afete 50-65% de ambos os...

Hormônios e ligação com Artrite

Hormônios e ligação com Artrite As doenças autoimunes são mais comuns em mulheres do que em homens e as condições inflamatórias autoimunes artríticas têm tendência...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect