Resistência insulínica – Entenda o que é

Vamos falar sobre resistência à insulina. Eu vou explicar isso da maneira mais simples possível.

 

Entendendo a Resistência insulínica

Veja o que acontece quando você come açúcar ou outros carboidratos, que podem ser grãos, cereais, farinhas, amidos ou féculas.

  1. Esse alimentos são digeridos e quebrados em açucares simples pelo seu sistema digestório.
  2. Vão ser absorvidos como mono ou dissacarídeos, que são açucares simples.
  3. Se tiver frutose no meio, ela vai direto para seu fígado que é praticamente o único órgão que consegue trabalhar com frutose.
  4. Os outros açucares, eles todos são convertidos em glicose.
  5. Seu pâncreas, localizado na parte esquerda da sua barriga, junto à caixa torácica, faz um hormônio chamado insulina e a insulina responde a glicose.
  6. A finalidade da insulina é jogar a glicose para dentro das células, porque a glicose não consegue entrar sozinha.
  7. Então, o que a insulina faz é remover o açúcar do seu sangue e jogar para dentro da célula, então esse é o objetivo, é diminuir o açúcar.

Quais são os níveis normais de açúcar?

Normalmente, em nosso sangue, se você estiver em jejum já algumas horas, o nível saudável de glicose no seu sangue é entre 75 e 85.

Se estiver maior que isso significa que você já tem resistência insulínica, as consequências nos vamos falar mais a frente nesse artigo.

Já se você estiver fora do jejum, se você acabou de comer, o saudável é que a glicose não supere o número 130.

O diagnóstico de Diabetes acontece quando a glicose do sangue em jejum supera o número 125 e supera o número 200 após uma refeição.

As pessoas que tendem a comer a dieta padrão, que é a alimentação de cerca de 60 a 70% de carboidratos, essas pessoas vão ter o nível de açúcar no sangue eternamente parecendo uma montanha russa, depois de 3 horas sem comer vão se sentir com leve tontura e com fome.

Isso por causa da hipoglicemia, ou seja açúcar baixo no sangue e depois de se alimentar com a próxima refeição rica em carboidratos vão apresentar açúcar alto no sangue.

Esse fenômeno de altos e baixos se chama disglicemia.

O que acontece quando você come açúcar ou carboidratos demais?

Uma das coisas que acontece é a tal hipoglicemia reativa que acontece mais ou menos 3 horas depois que você comeu, isso porque a insulina jogou todo o açúcar para dentro da célula e fica faltando no sangue.

Porém o organismo odeia a hipoglicemia, porque falta açúcar no cérebro e você fica tonto.

Qual é a resposta do organismo?

Diminuir a sensibilidade do receptor da insulina.

O organismo manda as células ficarem surdas à insulina.

É que nem aquela brincadeira de criança em que ela tampa os ouvidos e finge que não está escutando o que o coleguinha diz.

Aí o coleguinha irritado, começa a gritar no ouvido do amiguinho e obriga ele a escutar mesmo assim.

É isso que acontece no pâncreas.

Ele percebe que a célula está ficando surda a mensagem da insulina e produz mais insulina ainda para obrigar as células a escutar a mensagem.

Feedbacks ou retroalimentação.

O nosso organismo funciona assim com esses chamados feedbacks ou retroalimentação.

Algo acontece no nosso corpo e ele reage da maneira X que provoca a reação Y que pode retroalimentar o X que volta a alimentar o Y e isso vira um ciclo vicioso, uma reação em cadeia.

Uma coisa que acontece quando você está nesse estado de surdez relativa das células à insulina, a chamada resistência insulínica.

O que acontece além de você ter a insulina alta no sangue o tempo todo, o que vai acontecer é que você vai ficar com fome o tempo todo.

Por quê? Porque a insulina além de jogar açúcar para dentro das células ela tem alguns outros propósitos.

Efeitos da Resistência insulínica

  1. Ele não apenas reduz o açúcar no sangue, mas também ajuda a nutrir as células, de modo que os nutrientes, os ácidos graxos, as proteínas, as vitaminas vão entrar com a ajuda da insulina.
  2. Então sem a insulina, você não consegue a nutrição nas células.
  3. Você vai ficar com fome o tempo todo. Você não ficará satisfeito.
  4. Você come, mas os nutrientes realmente não entram direito, então você tem essa pessoa gorda que está morrendo de fome.
  5. Você não pode ficar saudável assim, e então um dos efeitos e que você vai querer comer carboidratos o tempo todo como louco.
  6. Só para você saber, se você está tendo desejos permanentes ou compulsão por doces, é literalmente impossível queimar gordura.
  7. Outro efeito da insulina é promover o armazenamento de TG, um tipo de gordura, nas suas células adiposas, as células do seu corpo que armazenam gordura.
  8. Então você não então toda vez que você estiver desejando, você não está queimando nenhuma gordura.

Não se preocupe. Eu vou te mostrar como consertar isso. Essa combinação de fome e desnutrição relativa leva a todos os tipos de problemas de saúde.

Depois que as pessoas ficam diabéticas elas podem ficar cegas.

Eles podem começam a ficar com os nervos destruídos, isso é chamado de neuropatia periférica e as pessoas portadores dessa doença ficam com os pés e as mãos com baixa sensibilidade e começam a aparecer feridas nos pés que podem evoluir para gangrena, é comum diabéticos perderem dedos dos pés e até o membro inferior inteiro.

Outra coisa que acontece é que o armazenamento de glicogênio vai ficar prejudicado, que é o jeito que o organismo saudável armazena açúcar entre as refeições.

Você só vai armazenar energia na forma de gordura. E vai engordar cada vez mais

Então voltando para a média do açúcar no sangue quando não em jejum, o ideal é cerca de 100 miligramas por decilitro. Isso equivaleria a cerca de cinco gramas de açúcar.

É como uma colher de chá cheia de açúcar em todo o corpo, em uma pessoa média, ela só precisam de uma colher de chá de açúcar, mas esse açúcar vem de todos os alimentos ingeridos, não somente do açúcar de mesa.

Nós não precisamos mais do que isso!

Veja esse exemplo clássico em nosso dia-a-dia

A quantidade de açúcar encontrada em uma típica lata de refrigerante, ou copo grande de suco de laranja, é cerca de trinta e nove colheres de chá de açúcar.

Ok, agora nós passamos das cinco para as trinta e nove. Isso é um tremendo estresse no pâncreas.

Agora, o corpo está tentando se proteger do excesso de insulina, então vai provocar mais resistência insulínica ainda.

É por isso que o sangue começa a se encher de açúcar e o resultado disso é aumento de gordura no sangue, porque o excesso de açúcar no sangue é convertido em TG pelo fígado.

Então na maioria das vezes o excesso de gorduras no sangue é muito mais decorrência de excesso de carboidrato do que consumir gorduras naturais.

Consequências

O resultado final disso é o diabetes tipo II insulino-dependente, chega uma hora que o pâncreas não aguenta mais e pede arrego, ele entra em falência e você fica dependente de insulina.

Sim, existe outro tipo de diabetes insulino-dependente que é o diabetes tipo I mas isso fica para outro vídeo já que é uma doença bem mais rara que afeta apenas 5% dos diabéticos.

O que fazemos sobre isso? O que pode ser feito?

Bem, há algumas coisas que você pode fazer.

01 – Precisamos diminuir a insulina.

Precisamos diminuir a insulina. Isso tem que ser um objetivo primário.

Os médicos não enfatizam isso o suficiente. O que eles fazem é dar-lhe insulina.

Dar insulina para um diabético tipo II é como jogar gasolina no incêndio. A cura do diabetes tipo II é nutricional.

Qualquer outra medida está apenas remediando.

A solução é a dieta cetogênica falado em outros vídeos. É uma alimentação em que apenas 10% dos macronutrientes são carboidratos.

Tem que ser radical, zero por cento de açúcar e controlar muito as outras fontes de carboidratos.

Tem que comer muitos vegetais, que crescem acima do solo, sete a dez porções por dia, eles são ricos em potássio e magnésio que vão ajudar a aumentar a sensibilidade a insulina.

Usar somente o stévia como adoçante e um pouquinho de Xylitol ou outros polióis.

Ao aumentar o seu consumo de gorduras do bem, após alguns dias ou semanas seu corpo vai aprender a voltar a queimar gorduras, a chamada beta oxidação e você vai perder as gorduras armazenadas e regular o seu açúcar no sangue.

02 – Você precisa aumentar a vitamina B1 e o resto do complexo B.

O levedo de cerveja é uma ótima forma de vitaminas B naturais que ajudarão muito na redução da insulina. Por quê?

Porque quando você consome todo esse açúcar, você está realmente despejando todas as suas vitaminas do complexo B e seu potássio pela urina, até quinze vezes mais do que se você não tivesse esse problema, então você está perdendo tudo isso.

03 – Consumo moderado de proteínas

A última coisa que eu quero recomendar seria proteína em moderação.

Cerca de 0,8 a 1,2 gramas de proteína por kilo/dia, vai depender muito do seu nível de atividade física.

Um fisiculturista pode consumir ainda mais.

Tudo isso vai permitir você ter saúde.

Faça exercícios de força que vão te causar um bem tremendo aumentando muito a sensibilidade a insulina do seu corpo.

Ao ganhar músculos você vai queimar muito mais energia em repouso e tudo vai ficar muito mais fácil.

Para vocês que tiverem interesse em uma aula mais completa e técnica, mas que ainda pode ser entendida com boa vontade por uma pessoa comum, assista ao vídeo no link.