Coenzima Q10 – Muito além da saúde do coração

Coenzima Q10 – Muito além da saúde do coração

Coenzima Q10, também conhecida como “Coquedez” ou “Cokillten” em inglês, é um elemento essencial para muitas funções diárias e é exigido por todas as células do corpo.

É um dos principais antioxidante que protege as células dos efeitos do envelhecimento, e tem sido usado na prática médica há décadas, especialmente no tratamento de problemas do coração, problemas cardíacos.

A Coenzima Q10

Embora o corpo possa fabricar a Coenzima Q10, nem sempre o faz de maneira consistente ou confiável.

A falta de CoQ10, ou deficiência de CoQ10, está associada aos efeitos prejudiciais do estresse oxidativo, também chamado de danos provocados por radicais livres.

Muitos pesquisadores estudaram e averiguaram que a deficiência de CoQ10 está associada a situações como:

  • Diminuição da do raciocínio ou cognição;
  • Diabetes;
  • Câncer;
  • Aquela doença misteriosa que dá dor no corpo inteiro, a fibromialgia;
  • Além de doenças musculares e do coração.

Inclusive, muitos pesquisadores e médicos acreditam que a CoQ10 é um dos suplementos anti-oxidantes e anti-envelhecimento mais promissores do mundo, e por isso ele pode ser um ótimo complemento para qualquer planejamento de saúde integrativa.

Mas o que é afinal o CoQ10 ou coenzima Q10?

O nome pode parecer meio esquisito, e até demora um pouco para se acostumar, mas apesar do nome, é um nutriente essencial que funciona como um antioxidante no corpo.

Em sua forma ativa, é chamada de ubiquinona ou ubiquinol, sendo que esse último nome ubiquinol é a forma mais bioabsorvível, por isso mesmo é um pouco mais caro.

CoQ10 está presente no corpo humano em níveis mais elevados em todos os tecidos mais metabolicamente ativos; como é o caso do:

  • Coração;
  • Cérebro;
  • Fígado;
  • Rins;
  • Pâncreas.

Ele é armazenado nas mitocôndrias de suas células, aquelas pequenas usinas de energia das células, e ele está intrinsicamente envolvido na produção de energia.

Ele faz parte da cascata fosforilativa, no transporte de elétrons, mas não vou entrar em detalhes sobre isso porque é muito técnico e eu só aborreceria vocês.

Basta saber que a coenzima é fundamental na formação da molécula fundamental de energia, o ATP, adenosina trifosfato.

Mas você se pergunta, para que serve coenzima Q10?

Como eu já comecei a falar e explicar, ela é produzida naturalmente no corpo e usada para funções importantes, como:

  • Fornecer energia às células;
  • Transportar elétrons;
  • Regular os níveis de pressão arterial.

Como uma “coenzima”, esse nome já dá uma pista, tem o prefixo “co”, como na palavra coadjuvante.

Isso significa, que a CoQ10 também ajuda outras enzimas a funcionarem adequadamente.

E a razão pela qual não é considerada uma “vitamina” é porque todos os animais, incluindo humanos, podem produzir pequenas quantidades de coenzimas por conta própria, mesmo sem a ajuda de alimentos.

Embora o corpo humano produza CoQ10 em alguma quantidade, muitos julgam importante suplementar na forma de cápsulas, comprimidos ou pela veia, pela via intra ou endovenosa.

Para pessoas que têm níveis baixos e podem se beneficiar de melhora na função do coração, do cérebro, dos rins e de todos nossos órgãos.

Mas o que ela faz de fato de bom para quem suplementa?

As nossas minúsculas usinas de energia, as mitocôndrias, que vivem dentro de nossas células; elas pegam a glicose, a gordura, corpos cetônicos e outros nutrientes, e os transformam em fontes utilizáveis de energia.

Este processo de conversão requer uma etapa chamada de cascata fosforilativa, também chamada de cadeia de transporte de elétrons, que ocorre na membrana interna, e isso por sua vez exige a presença de CoQ10.

A coenzima Q10 não é apenas necessária para produzir energia celular, mas também para defender as nossas células dos danos causados por radicais livres prejudiciais.

Como um poderoso antioxidante, a Coenzima Q10 pode aumentar a absorção de outros nutrientes essenciais, e foi demonstrado que ajuda a reciclar a vitamina C e a vitamina E, então ela ajuda nos efeitos de outras vitaminas e antioxidantes que atuam no corpo.

Mas será que você deve tomar coenzima Q10?

É uma ótima pergunta, que deve ser de preferência discutido com seu médico ou nutricionista.

Você pode ser perguntar: se meu corpo já contém e produz CoQ10 por conta própria, haveria uma razão para eu tomar na forma de suplemento?

Embora o corpo tenha a capacidade de produzir um pouco de CoQ10 por conta própria, a produção de CoQ10 diminui naturalmente à medida que envelhecemos – e isso acontece exatamente quando mais precisamos dela.

A demanda pode também aumentar muito em momentos específicos de muito estresse físico ou mental e também para pessoas com fadiga crônica.

De acordo com uma pesquisa feita pela Oregon State University, a síntese natural de CoQ10, mais a ingestão da comida no dia a dia, fornece quantidades suficientes, isso em pessoas saudáveis.

No entanto, o corpo produz menos CoQ10 à medida que envelhece e essa necessidade aumenta muito em certas condições de saúde, como doenças cardíacas.

O que poderia então causar deficiência de coenzima Q10 no seu corpo.

Já mencionamos envelhecimento, fadiga crônica, doença do coração, doença dos rins.

Na verdade qualquer doença crônica se beneficia do uso de coenzima Q10, como por exemplo a doença de Alzheimer, conforme eu já falei em vários vídeos gratuitos no meu canal e também no meu curso na plataforma Jolivi.

Pode ajudar muito pessoas com deficiência de vitaminas do Complexo B.

E especialmente ajudar pessoas tomando as estatinas, essa classe de drogas líder de vendas e que baixa o colesterol.

Mas você sabe como funciona as estatinas como a rosuvastatina e a sinvastatina?

Elas bloqueiam uma enzima chamada hidroximetilglutaril coenzima A redutase, conhecida pela sigla HMG-CoA-redutase.

Essa enzima não só produz o colesterol mas produz várias substâncias muito importantes como a própria coenzima Q10.

Então quem usa as estatinas precisa necessariamente tomar a coenzima Q10 como suplemento.

A capacidade natural de converter CoQ10 em sua forma ativa chamada ubiquinol diminui durante o processo de envelhecimento.

Esse declínio é mais aparente em pessoas com mais de 40 anos, particularmente aquelas que tomam estatinas.

Também foi descoberto que pessoas com diabetes, câncer e insuficiência cardíaca congestiva tendem a ter níveis no sangue diminuídos de coenzima Q10, embora a queda relacionada à idade nos níveis de CoQ10 não seja clinicamente definida como uma “deficiência”.

Então quais são os principais benefícios da coenzima Q10?

  • Sustentar a produção de energia;
  • Reduzir radicais livres ou estresse oxidativo;
  • Melhorar saúde do coração, dos rins e do cérebro;
  • Combater os efeitos ruins das estatinas;
  • Manter o equilíbrio do pH;
  • Melhorar a fertilidade masculina;
  • Ajudar a tratar a desafiadora doença fibromialgia.

Onde obter a coenzima Q10 nos alimentos?

A coenzima Q10 é encontrada naturalmente nos peixes, fígado, rins e nos grãos inteiros.

As fontes naturais mais ricas de coenzima Q10 na dieta são:

  • Carnes;
  • Aves;
  • Peixes;
  • Feijão;
  • Nozes;
  • Alguns vegetais;
  • Ovos;
  • Laticínios.

As minhas recomendações pessoais são:

  • Carne bovina orgânica, ou seja, alimentada com capim;
  • Os peixes arenque, sardinhas e cavalinha;
  • O frango caipira;
  • A truta;
  • Sementes de gergelim;
  • Pistache;
  • Brócolis;
  • Couve-flor;
  • Laranjas;
  • Morangos;
  • Ovos caipiras.

Infelizmente não existe recomendação oficial de ingestão mínima para CoQ10 estabelecida pelos órgãos como o Institute of Medicine ou outras agências.

Por ser um antioxidante solúvel em gordura, ele é mais facilmente absorvido quando consumido com uma pequena quantidade de gorduras saudáveis.

Aliás isso é comum para todas as vitaminas lipossolúveis com A, K, D e E.

Embora possa ser obtido a partir desse alimentos que já mencionamos, os alimentos tendem a fornecer apenas doses baixas, e esta é exatamente a razão por que muitos especialistas recomendam a suplementação se você for mais velho ou tiver uma dessas doenças que já mencionamos.

Mais benefícios

Falamos no suporte a produção de energia, não é mesmo? Mas qual é a ciência por trás?

Três estudos separados, duplo-cegos, controlados por placebo em humanos mostraram melhora na fadiga relacionada ao exercício quando suplementados com CoQ10 (em doses que variavam entre 100–300 miligramas por dia).

E os radicais livres?

Um estudo descobriu que a CoQ10 pode ajudar a proteger do estresse oxidativo causado pela resistência à insulina ou pré-diabetes.

Bem, e a saúde do coração. É importante aqui frisar que estudos grandes e bem controlados ainda são necessários.

E isso infelizmente fica beeeem complicado, porque ela não é uma molécula patenteável.

Isso quer dizer que ninguém pode fazer muito dinheiro explorando sozinho esse suplemento e então ninguém vai querer colocar muito dinheiro nos estudos.

Mas alguns estudos menores mostraram que coenzima Q10 melhora a circulação, baixa a pressão arterial para hipertensos, mas não na pessoa sem esse problema.

Melhora a capacidade de exercício, e a capacidade cardio-respiratória em pessoas que sofreram insuficiência cardíaca.

E o processo de envelhecimento?

Alguns estudos mostram que a coenzima Q10 pode ter benefícios.

Pode proteger o coração contra o envelhecimento relacionado ao estresse, pode proteger a estrutura genética dos músculo esqueléticos para manter os músculos fortes, ajuda a minimizar o risco de lesões ósseas e articulares;

melhora a fertilidade na faixa dos 40 anos de idade, aumenta a atividade dos antioxidantes catalase e glutationa para proteger as membranas celulares em todo o corpo, e reduz os danos UV da pele, se usado na forma de creme direto na pele.

Como funciona a ação anti-câncer?

A coenzima Q10 promove aumento da eficiência das drogas quimioterápicas e protege contra efeitos colaterais: a suplementação durante o tratamento do câncer pode ajudar a aumentar o potencial de eliminação do câncer durante a quimioterapia.

  • Pode diminuir ou reverter a propagação do câncer de mama em pacientes de alto risco, isso segundo estudo de 1994;
  • Ajudar a prevenir câncer de intestino grosso;
  • Pode ter um papel na prevenção de câncer de colo uterino;
  • Melhorar as taxas de sobrevida em cânceres terminais.

Se for usar na forma de suplemento, qual seria a dose mais usada

Sempre use sob supervisão médica ou de nutricionista. A faixa de doses mais usada é de 100 a 300 mg por dia.

Mas tem estudos usando 1200 mg por dia, mas não recomendo essas doses em hipótese nenhuma.

Existem muitos fornecedores mas as formas mais potentes e absorvíveis que eu conheço são o suplemento MitoQ e a forma lipossomal da Quicksilver Scientific.

Ambos são comercializados nos EUA. Mas aqui no Brasil tem nas manipulações.

Mas que horário tomar?

Você deve tomar de manhã ou à noite? Embora possa ser tomado a qualquer hora que for mais conveniente, é melhor tomar CoQ10 com uma refeição que contenha gordura, uma vez que é solúvel em gordura.

Se você tomar uma dosagem de CoQ10 que exceda 100 mg por dia, é melhor dividir as doses em duas ou três porções menores, o que ajudará na absorção.

Há algumas evidências de que tomar CoQ10 à noite pode ajudar com a capacidade do corpo de usá-lo, então uma boa opção é tomá-lo com o jantar.

No entanto, algumas pessoas relatam ter dificuldade em adormecer se tomarem CoQ10 perto da hora de dormir, portanto, isso se resume à preferência individual.

Mas quais são os possíveis efeitos colaterais?

Embora seja considerado muito seguro no geral e tem sido usado na área médica por muitos anos, os efeitos colaterais da CoQ10 ainda podem afetar algumas pessoas.

Os efeitos colaterais potenciais da CoQ10 podem incluir:

  • Diarreia;
  • Náusea;
  • Azia;
  • Dor abdominal;
  • Perda de apetite;
  • Dores de cabeça;
  • Insônia;
  • Erupções na pele;
  • Fadiga;
  • Tontura;
  • Sensibilidade à luz;
  • Irritabilidade.

Se você estiver grávida ou amamentando melhor não tomar, por absoluta deficiência de dados nessa etapa da vida das mulheres.

E uma informação muito importante para quem toma remédios que afinam o sangue: Suplementos de coenzima Q10 podem diminuir a eficácia anticoagulante de remédios como varfarina ou marevam.

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

Como ficar muito tempo sentado pode afetar a sua saúde

Como ficar muito tempo sentado pode afetar a sua saúde Você passa muitas horas sentado? Você sabia que esse hábito pode lhe trazer inúmeros problemas...

Conheça os 6 tipos de Alzheimer

Conheça os 6 tipos de Alzheimer De acordo com dados atualizados, há uma estimativa de que existam 35,6 milhões de pessoas com Alzheimer no mundo,...

Acetilcolina e a importância para a função cerebral

Acetilcolina e a importância para a função cerebral Você tem tido dificuldade para se focar em algo? Ou anda se esquecendo de mais coisas do...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect