Própolis – Qual é a melhor? Verde, marrom ou vermelha?

A própolis de abelha é uma mistura de resina que as abelhas produzem combinando sua própria saliva e cera com substâncias que elas coletam de brotos de árvores, seiva e outras fontes botânicas.

A cor da própolis pode variar dependendo do que a abelha coleta da natureza para criá-la, mas a própolis mais comum e conhecida é um tom de marrom escuro.

Os principais tipos de própolis são: A própolis verde, marrom (tradicional) amarela e vermelha.

Tipos e variedades de Própolis

Tipos e variedades de Própolis

A própolis brasileira tem uma composição química bastante distinta das outras própolis, sendo considerada a melhor própolis do mundo.

Quando os cientistas analisaram mais de perto a composição química exata da própolis, descobriram que ela realmente contém mais de 300 compostos naturais, incluindo:

  • Aminoácidos
  • Cumarinas
  • Aldeídos fenólicos
  • Polifenóis
  • Sequiterpenos quininos e esteroides.

Em geral, a própolis bruta é composta por aproximadamente 50% de resinas, 30% de ceras, 10% de óleos essenciais, 5% de pólen e 5% de vários compostos orgânicos.

E qual a diferença entre os tipos de própolis de acordo com a sua cor?

Própolis Verde

Própolis Verde A própolis verde é proveniente de substâncias como resinas e extratos do alecrim-do-campo.

Além das propriedades já oferecidas por qualquer variação do própolis, estudos sugerem que a própolis verde possui ação antitumoral, e por isso é muito utilizada em hospitais no Japão.

Além de destruir bactérias, fungos, vírus e aumentar as defesas e proteger a pele dos pacientes em tratamento de radioterapia.

 

Própolis Vermelha

Própolis Vermelha

A principal origem botânica da própolis vermelha foi identificada como Dalbergia ecastophyllum, popularmente conhecida como Rabo-de-bugio, encontrada ao longo da praia e região do mangue do nordeste do Brasil.

 

Própolis marrom (tradicional)

Própolis Marrom

É a mais utilizada e facilmente encontrada devido à sua origem botânica, sendo coletada pelas abelhas de diversos tipos de vegetação e não se caracteriza por predominância de nenhuma planta em particular.

A própolis tradicional possui coloração que varia do cinza claro ao preto dependendo da região.

Na realidade, tem sido estudado por cientistas os vários tipos, mas no geral todos eles têm grandes potências e propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes, antibacterianas, antifúngicas e antitumorais.

Porém, em alguns estudos algumas espécies foram melhores que outras.

Diferenças entre os tipos existentes

A própolis marrom é a mais popular e tem origem em uma grande diversidade de plantas, tem sua ação antibacteriana, antiviral, cicatrizante e antiséptica bem estabelecidas.

Já a própolis vermelha apresentou em um estudos in vitro a maior atividade de inibição das bactérias gram-positivas e maior atividade antioxidante se comparada as outras.

A própolis verde brasileira, por exemplo, é um tipo específico de própolis, que contém a resina de Baccharis dracunculifolia também conhecida como alecrim-do-campo que possui propriedades anti-úlceras e anti-inflamatórias, razão pela qual as pesquisas demonstram que a própolis verde também trata úlceras e doenças inflamatórias.

Benefícios da própolis verde

A própolis verde pode ser muito eficiente para combater alguns tipos de vírus (como os que causam herpes, gripes e resfriados, conjuntivite, dores de garganta).

Existem certos estudos que mostram que a própolis marrom e verde podem ajudar no tratamento da herpes, incluindo um estudo de 2011 que mostrou que a própolis funciona inibindo a atividade do HSV-1 e promovendo a função imunológica contra o vírus.

Outra vantagem da própolis verde é sua ação maior anti-fúngica.

Assista ao vídeo:

Própolis combate fungos e bactérias?

Candida ou candidíase é uma infecção causada por Candida Albicans, um fungo semelhante a leveduras.

Este é o tipo mais comum de infecção por fungos encontrados na boca, trato intestinal e vagina, e pode afetar a pele e outras membranas mucosas.

A própolis verde demonstrou uma maior atividade antifúngica do que a própolis marrom, incluindo Candida Albicans, podem ser um tratamento auxiliar para a síndrome fúngica.

A própolis verde brasileira também apresentou melhor ação antibacteriana em alguns estudos, principalmente contra S. aureus e um isolado clínico multirresistente (MRSA).

O potencial da atividade antimicrobiana dos extratos foi demonstrado por um estudo da Unicamp, conduzido junto à Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) pela pesquisadora Graciela Fujimoto.

“Este tipo de própolis (verde) diferencia-se das demais, principalmente pela presença dos compostos fenólicos Artepelin C e Bacarina. São atribuídas as estas duas substâncias bioativas uma série de atividades biológicas benéficas ao organismo no combate e prevenção a doenças. Além disso, estes compostos não são encontrados em outros grupos de própolis”.

Outras propriedades importantes

Outras propriedades importantes

Também, segundo especialistas japoneses, a própolis verde se diferencia das demais pela presença dos compostos fenólicos únicos.

Eles descobriram que o Artepelin C, presente na própolis verde, pode ser um poderoso agente na prevenção e combate ao câncer.

A própolis vermelha também mostrou diminuição da atividade de crescimento de células tumorais em um estudo brasileiro.

Estudos brasileiros com própolis verde

Um estudo clínico randomizado, duplo-cego, placebo-controlado feito pela USP, mostrou o efeito positivo da Própolis Verde Brasileira sobre a Proteinúria e Função Renal em Pacientes com Doença Renal Crônica.

O extrato de própolis verde foi seguro e bem tolerado, bem como reduziu o marcador inflamatório e diminuiu significativamente a proteinúria em pacientes com DRC de etiologia diabética e não-diabética.

O professor de patologia bucal da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Vagner Rodrigues Santos, realizou um estudo dos efeitos da própolis verde em micro-organismos que causam lesões na boca, como gengivite, candidíase, cárie, aftas e herpes.

Inicialmente foi feito um trabalho com extrato alcoólico e gel de própolis em pacientes portadores de candidíase bucal.

O resultado mostrou-se mais eficaz quando comparado com outros antifúngicos tradicionais usados para esse tratamento.

Conclusão

A própolis é segura para consumo e uso.

No entanto, existem certas contra-indicações, como alergias, distúrbios hemorrágicos e asma.

De qualquer maneira, uma própolis de boa qualidade, seja de qualquer espécie pode trazer benefícios contra várias doenças.

Fontes:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4359870/
https://www.hindawi.com/journals/ecam/2016/6057650/
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/21584253/
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29393408/
https://scholar.google.com.br/citations?user=SdWKMKwAAAAJ&hl=pt-BR
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5373518/
https://scholar.google.com.br/scholar?q=green+propolis+and+cancer&hl=en&as_sdt=0,5&as_vis=1
https://www.sbn.org.br/profissional/sbn-cientifico/blog-cientifico/single-cientifica/news/efeitos-da-propolis-verde-brasileira-sobre-a-proteinuria-e-funcao-renal-em-pacientes-com-doenca-rena/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.