Ardência na língua: causas e tratamentos

A síndrome da ardência bucal (SAB), sendo mais conhecida por uma ardência na língua, é uma doença que se caracteriza por queimação e/ou dor constante na boca sem que esteja associada a lesões na cavidade oral. 

Apresenta maior incidência em mulheres, ocorrendo mais frequentemente na meia-idade.

A ardência na língua pode ser de graus variável, geralmente aparece de repente, mas pode desenvolver-se gradualmente ao longo do tempo.

 

Quais sintomas estão associados a ardência na língua?

Sintomas da síndrome da ardência bucal podem incluir:

  • Sensação de queimação que afeta mais comumente a língua, mas também pode afetar seus lábios, gengivas, palato, garganta ou boca inteira.
  • Sensação de boca seca com sede aumentada
  • Alterações de sabor na boca, como sabor amargo ou metálico
  • Perda do paladar
  • Formigamento, picada ou dormência na boca

O desconforto causado pela ardência geralmente apresenta vários padrões diferentes:

  • SAB I (35%) – sensação de dor por ardência todos os dias, não presente ao acordar, mas se desenvolvendo durante o dia, alcançando seu máximo à noite. Tipo não psiquiátrico;
  • SABII (55%) – sensação de dor por ardência constante, diariamente durante todo dia, sendo resistente aos tratamentos. Envolve distúrbios psiquiátricos como ansiedade crônica;
  • SAB III (10%) – sensação de dor por ardência intermitentemente, possuindo intervalos livres de dor, afetando áreas específicas na boca. Os pacientes são considerados psicologicamente normais.

A causa da síndrome da boca ardente pode ser classificada como primária ou secundária.

 

1 – Síndrome da ardência bucal primária

Quando nenhuma anormalidade clínica ou laboratorial pode ser identificada. Pode estar relacionada a problemas no paladar e nos nervos sensoriais do sistema nervoso periférico ou central. 

 

2 – Síndrome da ardência bucal secundária

Às vezes, a Síndrome da ardência na língua é causada por uma condição médica subjacente. Nesses casos, é chamado de síndrome da ardência bucal secundária, que é a mais frequente. 

 

Quais os problemas de base que levam a ardência na língua?

Os problemas subjacentes que podem estar relacionados à Síndrome da ardência bucal secundária incluem:

  • Boca seca (xerostomia)
  • Sialodenite crônica autoimune

  • Respiração bucal
  • Fibromialgia
  • Infecção fúngica da boca (candidíase oral), líquen plano, língua geográfica
  • Deficiências nutricionais, como falta de ferro, zinco, vitamina D3, vitamina A, folato (vitamina B-9), tiamina (vitamina B-1), riboflavina (vitamina B-2), piridoxina (vitamina B-6) e cobalamina (vitamina B-12 )
  • Alergias ou reações a alimentos, aromas alimentares, outros aditivos alimentares, fragrâncias, corantes ou substâncias para uso dentário
  • Reação a metais tóxicos principalmente cadmio e mercúrio das amalgamas dentárias.
  • Certos medicamentos, particularmente medicamentos para pressão alta e ansiolíticos e benzodiazepínicos
  • Hábitos orais, como empurrar a língua, morder a ponta da língua e ranger os dentes (bruxismo)
  • Diabetes
  • Hipotireoidismo
  • Síndrome de Sjögren

  • Outras doenças autoimunes e inflamação crônica
  • Irritação excessiva da boca, que pode resultar de escovação excessiva da língua, uso de cremes abrasivos, uso excessivo de enxaguantes bucais ou ingestão excessiva de bebidas ácidas
  • Fatores psicológicos, como ansiedade, depressão ou estresse
  • Refluxo de ácido estomacal, SIBO, SIFO, Disbiose, falta de ácido estomacal

      Para saber como curar o refluxo ácido, assista esse vídeo!

 

Como tratar a ardência na língua? 

Para a Síndrome da ardência bucal secundária, o tratamento depende de quaisquer condições subjacentes que possam estar causando desconforto na boca.

É importante identificar a causa e trata-la corretamente. 

Uma vez tratadas as causas subjacentes citadas acima, os sintomas da Síndrome da ardência na língua devem melhorar.

Porém certos tratamentos são utilizados para diminuir os sintomas: 

  1. Laserterapia 
  2. Uso tópicos à base de capsaicina 
  3. Uso de gel de ureia
  4. Alpha lipóico 
  5. Acupuntura
  6. Retirar alimentos e condimentos que possam piorar o quadro
  7. Uso de probióticos orais
  8. Tratar as deficiências em vitaminas e minerais
  9. Bochecho com óleo de coco 

     Para saber mais sobre como fazer bochecho com óleo de coco,   assista esse vídeo!

 

Muitos alimentos podem ser os gatilhos e piorarem os sintomas, como alimentos ácidos, alimentos que causam queimação como o alho, alimentos condimentados e principalmente alimentos processados contendo aromas artificiais, corantes e conservantes.

Qualquer que seja o padrão de desconforto bucal que você tenha, a Síndrome da ardência bucal pode durar meses ou anos. Em alguns casos, os sintomas podem desaparecer repentinamente ou se tornar menos frequentes. 

A ardência na língua é uma condição multifatorial, sendo que depressão, ansiedade e desordem de personalidade estão entre as principais causas.

Cada caso pode ser muito individual e o que causa a reação de queimação em um, pode não ser a mesma causa em outro. Por isso é importante analisar o quadro completo. 

Trabalhar em colaboração com um médico Funcional e um Estomatologista pode ajudar a entender as causas e reduzir os sintomas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.