• Nesse vídeo iremos discutir quando deve ser usado o lugol além de outras formas de altas doses de iodo e quando não deve ser usado, de acordo com visões diferentes sobre esse tema.
  • Antes de qualquer coisa já adianto que não adianta me mandar mensagens mal criadas defendendo um ou outro ponto de vista. A minha missão aqui é apresentar os dois lados dessa discussão e não irei tomar partido publicamente. Mensagens mal educadas serão sumariamente apagadas e os usuários bloqueados. Se você for uma pessoa radical e com dificuldade de raciocínio; especialmente se você tiver dificuldade de ponderar os prós e contras de algum assunto polêmico e se você enxerga a vida somente no preto e no branco, pare imediatamente de assistir esse video e vá fazer outra coisa.
  • Lembrando aqui que o está sendo discutido não é se deve ou não ser suplementado o iodo, e sim em relação a se deve ser usado altas doses desse mineral. Deficiência de iodo leva a cistos, nódulos, fibrose e câncer de vários órgãos. 
  • O Dr. Lair Ribeiro é grande defensor do uso do Lugol, mesmo em portadores de Hashimoto, aqui iremos expor duas visões antagônicas e deixar você decidir o que fazer.
  • Segundo o Dr. Lair Ribeiro, o qual respeito, admiro muito e sou seguidor, o lugol não é prejudicial aos portadores de Hashimoto se dado em conjunto com o mineral selênio.
  • Segundo o Dr. Brownstein, com o qual o Dr. Lair estudou, o iodo é o nutriente menos compreendido de todos.
  • Vários órgãos do corpo precisam de iodo além da tireóide, como mamas, útero, estômago, glândulas salivares, pâncreas, ovários, liquor, cérebro, pele, próstata, entre outros
  • Ele tem ação alcalinizante, antibacteriana, antifúngica, antiviral, antiparasitários, anticâncer. Tem ação detox e mucolítica. Ele pode expulsar mercúrio, flúor, bromo, chumbo e cloro em excesso do corpo.
  • Eu mesmo já fiz uso de lugol em vários momentos para ajudar no detox.
  • O japonês médio comendo uma dieta tradicional, consome cerca de 13 mg de iodo por dia, o que corresponderia a 2 gotas de lugol. 
  • Segundo a Dra. Izabella Wentz e outros autores internacionais o Lugol ou outras formas de iodo em altas doses não são apropriados para portadores de Hashimoto. Inicialmente a pessoa fica com mais energia mas depois a pessoa desaba e se sente pior. Esse pico inicial de energia se deve a aceleração da destruição da tireoide que libera mais hormônios na circulação. Uma parte dos pacientes tem a inflamação do Hashimoto piorada por altas doses de iodo. O iodo precisa ser processada pela tireóide, e quando ela está inflamada, o processamento do iodo vai provavelmente gerar mais inflamação. 
  • Segundo essa mesma autora o excesso de iodo pode ser uma das causas de hipotireoidismo. Isso porque o processamento do iodo pela glândula exige a formação do radical livre peroxido de hidrogênio. O mineral selenio pode neutralizar esse radical livre se o corpo consegue processar adequadamente esse elemento. Não existe consenso na literatura se simplesmente repor o selênio vai ser suficiente para contrabalançar altas doses de iodo gerando mais produção de radicais livres . Algumas pessoas tem predisposição genética a formar mediadores inflamatórios que vão alimentar o processo autoimune. 
  • Em uma pesquisa feita entre os pacientes da Dra. Izabella Wentz, todos portadores de Hashimoto, cerca de um terço se sentiu melhor usando o Lugol, um terço pior e outro terço não sentiu diferença. Porém a maioria, cerca de 2/3, se sentiu bem usando um suplemento a base de selênio. Ela trata o iodo como uma droga de efeito terapêutico estreito e com muita cautela. O limite recomendado por ela é de 150 a 200 mcg de iodo ao dia. Segundo a sua visão o uso de iodo em altas doses tem risco que obscura as possíveis vantagens terapêuticas. 
  • A Doença de Hashimoto é uma condição do corpo inteiro e não somente da tireoide. É fundamental cuidar do intestino. Assista aos videos sobre dietas antiinflamatórias e sobre intestino permeável. É fundamental tratar infecções ocultas e pesquisar e tratar metais tóxicos.
  • Tendo tudo isso em consideração, a minha esposa, que não tem Hashimoto, usou altíssimas doses de iodo por uma período curto de tempo para tratamento de uma doença autoimune considerada incurável e teve excelentes resultados.
  • Conclusão 1 – Se você quer seguir fielmente o Dr. Lair Ribeiro pode tomar seu lugol porém nunca sem repor em conjunto o selênio.
  • Conclusão 2 – Se você quer ficar do lado mais seguro possível nunca tome lugol sem antes passar por uma avaliação com um médico funcional e integrativo. Se não tiver anticorpos aumentados tomar o lugol poderá ser seguro.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.