Trata-se de uma molécula de sinalização biológica fundamental para a saúde dos vasos sanguíneos. É um gás que dura poucos segundos após liberado. 
Foi considerada a molécula do ano pela revista Science em 1992. Uma das consequências de envelhecer é perder óxido nítrico – NO – e toda doença crônica vem acompanhada de redução na sua produção.
Existem duas vias pelas quais o organismo produz NO
Via 1: Mais ativa na juventude – A enzima nítrico óxido sintase – NOS – a produz a partir do aminoácido arginina. Citrulina também pode ser um precursor.
Via 2: Mais importante a partir dos 40 anos de idade – Os nitratos dos alimentos são convertidos em nitrito pelas bactérias da boca e em contato com o HCl do estômago viram NO.
A parede interna dos vasos – endotélio –  perde 85% da capacidade de produzir NO ao longo dos anos.
O NO ajuda a parede do vaso cicatrizar ao mobilizar células progenitoras endoteliais, tipo de célula tronco originada na medula óssea.
Previne a formação de coágulos nas artérias.
É o NO que permite a dilatação da parede das artérias. Mantém as artérias jovens e flexíveis. É a sua produção adequada que previne e trata:
  • Pressão alta
  • Ataque cardíaco – infarto
  • AVC – derrame
  • Diabetes
  • Artrites
  • Doença renal
  • Perda de memória
  • Osteoporose
O NO também tem função na comunicação entre neurônios e na saúde do sistema imune.
Nos ossos o NO inibe a ação dos osteoclastos, ajudando a preservar a massa óssea.
É a deficiência de NO que leva também nos homens a disfunção erétil.
A mulher até a menopausa produz mais NO do que o homem porque o estrogênio ajuda na sua produção.
Arginina e citrulina ajudam no desenvolvimento muscular e no desempenho esportivo.
Veja no vídeo em meu canal do Youtube:
O que provoca a deficiência de NO ?
Como obter mais NO pela alimentação?
Assista ao vídeo no Youtube para saber essas respostas e muito mais sobre o NO.
Acesse o link abaixo e ative o sininho para receber notificações de novos vídeos.