Glutamina e imunidade. Tudo o que você precisa saber

Eu vou discutir aqui o papel da glutamina na imunidade, trata-se de um aminoácido que pode ajudar muito nas defesas.

Você já ouviu a respeito das propriedades incríveis da glutamina?

Provavelmente sim, porque um médico muito popular no Instagram tem como um dos seus lemas “Glutamina, limão e gratidão”.

A glutamina de início se popularizou no Mundo dos bodybuilders, dos marombeiros e pânicats, porque ajuda muito na recuperação pós-treino e a cortar gripes e resfriados muito comuns em quem está treinando muito pesado.

Como já mencione em outro artigo, o excesso de atividade física é uma das causas de queda de imunidade.

Excesso de exercícios físicos baixam a imunidade

Assista meu vídeo sobre os dez hábitos que baixam a imunidade 

 

A glutamina e seus principais usos

A glutamina preserva tecido muscular e é o aminoácido que o corpo mais precisa em abundância.

Os usos mais comuns são para construir músculos, mas de uma maneira indireta.

Indireta porque a glutamina de modo geral não é assim tão anabólica, mas como ajuda o intestino a absorver melhor os outros aminoácidos e preserva a saúde dos fisiculturistas para que eles não adoeçam malhando, acaba ajudando muito no ganho de massa muscular por mecanismos não tão diretos.

Além disso, serve para perder peso e queimar gordura. Mas a ciência tem demonstrado outros usos, como melhora da saúde intestinal e combate ao leaky gut, ao intestino hiper-permeável, intestino irritável e melhora da saúde cerebral.

Desmistificando a Glutamina e relação de aparecimento de câncer

Chegou a ter a reputação manchada em alguns meios porque ganhou a fama de promover crescimento de tumores malignos.

É verdade, de que para quem já tem câncer, a glutamina pode atuar como carcino cinético, mas não é carcinogênico.

O que quero dizer é que ela sozinha não provoca câncer, não gera a doença, portanto não é carcinogênica, esta palavra vem do latim e significa “o que gera câncer”. Mas, para quem já tem o diagnóstico da doença pode sim acelerar o tumor, então é carcino cinética, que significa “o que acelera o câncer”.

Entenda a diferença entre carcino cinético carcinogênica

É a mesma coisa com a gasolina. Se eu jogo no chão, o combustível não vai atear fogo sozinho.

Mas se eu tiver uma chama já presente e jogar gasolina, a chama vai crescer subitamente, podendo inclusive causar uma explosão.

Nessa analogia a glutamina é como a gasolina, entenderam?

Ninguém pega câncer por usar a glutamina, mas se já souber de um câncer por favor evite de usar a não ser com expressa orientação médica.

Importância da glutamina 

A importância da glutamina

A glutamina é um aminoácido importante com muitas funções no corpo.

É um bloco de construção de proteínas e parte fundamental do sistema imunológico. Seu corpo produz naturalmente esse aminoácido, e também é encontrado em muitos alimentos.

No entanto, é natural que você se pergunte se a glutamina já presente nos alimentos é suficiente, ou se você precisa de glutamina obtida a partir de suplementos para obter uma saúde ideal.

Já vamos chegar lá.

Papel dos aminoácidos

Bom, o principal objetivo dos aminoácidos é servir como blocos de construção de proteínas.

As proteínas são cruciais para os órgãos.

Elas cumprem várias funções, como fazer parte da estrutura dos tecidos, transportar substâncias no sangue e combater vírus e bactérias prejudiciais.

Fazem parte de enzimas, que são moléculas que servem para acelerar reações químicas e que sem elas a vida seria totalmente impossível.

As duas formas da glutamina

Como muitos outros aminoácidos, ele existe em duas formas diferentes: L-glutamina e D-glutamina.

“L” vem de levo que significa esquerda e “D” vem de dextro que significa direita.

glutamina L e glutamina D

As duas formas tem a mesma estrutura mas disposições espaciais diferentes.

Pense nas duas formas como se fossem a sua mão direita e mão esquerda. Mas o que tem importância para nós aqui é a forma L, então esquece a D por enquanto.

Apesar da glutamina poder ser produzida dentro de nossos corpos, eu preciso dizer uma coisa muito importante. Há momentos em que as necessidades de glutamina do seu corpo são maiores do que a capacidade de produzir.

Por isso que a gente chama ela de aminoácido essencial condicional, o que significa que deve ser obtido necessariamente da dieta sob certas condições, como lesão ou doença.

Fontes de glutamina

As fontes de glutamina

A carne e outros produtos de origem animal são as maneiras mais simples de obter grandes quantidades desse elemento.

  • Ovos: 4,4% (0,6 g por 100 g de ovos)
  • Carne bovina: 4,8% (1,2 g por 100 g de carne bovina)
  • Leite desnatado: 8,1% (0,3 g por 100 g de leite)
  • Tofu: 9,1% (0,6 g por 100 g de tofu)
  • Arroz branco: 11,1% (0,3 g por 100 g de arroz)
  • Milho: 16,2% (0,4 g por 100 g de milho)

Melhora do sistema imune associado a glutamina

Estudos mostram que a glutamina é utilizada em altas taxas pelas células do sistema imunológico e é necessária para apoiar a proliferação e produção ideais de linfócitos e a produção de citocinas por linfócitos e macrófagos.

Ela é uma fonte crítica de combustível para células imunes, incluindo glóbulos brancos e certas células intestinais.

E a gente sabe que 70 a 80% do sistema de defesa está nos intestinos, então não é coincidência.

Se a necessidade de glutamina for maior do que sua capacidade de produzir, seu corpo pode comer as próprias reservas de proteínas, como os músculos, para liberar mais esse aminoácido.

Então você pode perder massa muscular.

Além disso, a função do sistema imunológico pode ser comprometida quando quantidades insuficientes de glutamina estão disponíveis.

Por esses motivos, dietas ricas em proteínas, dietas ricas em glutamina ou suplementos de glutamina são frequentemente prescritas após lesões graves, como queimaduras, ou infecções severas.

Estudos também relataram que suplementos de glutamina podem melhorar a saúde, diminuir infecções e levar a estadias hospitalares mais curtas após cirurgias ou permanências em UTI.

Dose segura recomendada

Se for suplementar eu recomendo cerca de 5 gramas por dia, mas doses muito mais altas já foram usadas.

Mas se for o caso de usar doses maiores, faça com acompanhamento de nutricionista ou médico, ok?

Mas será que tem efeito colateral?

O consumo em geral é bem seguro, mas especula-se que o consumo exagerado possa interferir na absorção de outros aminoácidos, mas nada ainda foi totalmente comprovado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.