Entenda o que isso tem haver com a sua saúde

link da matéria do uol: https://goo.gl/gOu12s

link do estudo: https://goo.gl/l4xpH9

Polêmico, não ?

Comentário de um internauta chamado Pascoal Souza (não conheço e nem tenho qualquer responsabilidade por esse comentário) :

‘ Mais uma dessas pesquisas de se lamentar. Não sei porque insistem neste tema. Faz pouco mais de 20 anos que o brasileiro passou a ter o hábito de ter animais como “membros da família”. Até então era raro encontrar alguma casa onde o cachorro era mais que cão de guarda e ficava prioritariamente somente no quintal. Gatos então, mais raro ainda. Até então pais e responsáveis eram os que ditavam as regras sociais, morais e éticas para as crianças, Coincidentemente o aumento da proporção de afeto aos “pets” coincidiu com o aumento do nível de intolerância da maioria dos jovens, fruto de uma criação desleixada, sem limites, sem regras morais , éticas e sociais, ou seja, mimados, como são os “pets”. Reduzir o aumento de sociabilidade de qualquer um, adulto ou criança, a um “pet” é simplesmente abrir mão da capacidade humana de interagir entre si.’

Não concordo exatamente com a opinião acima, mas acho que tem vários pontos corretos. Estamos nos tornando uma sociedade de egoístas e de intolerantes com a opinião alheia. Cachorros não discutem conosco, deve ser por isso que gostamos tanto deles. Interações sociais sadias são fundamentais para a saúde humana. Não acho que a saída seja sempre substituir isso por pets.

Em casos específicos, como de idosos lamentavelmente esquecidos pela família, os pets são excelentes “quebra galhos”. Mas esse culto ao Mundo pet sinceramente me preocupa muito.

Saia mais, interaja mais com as pessoas.
Quando for sair com os amigos deixe o telefone em casa. Fique algumas horas longe das redes.
Seja mais tolerante ao diferente e as pessoas que pensam de forma diversa. Mantenha mente aberta.
Se preocupe mais em escutar do que em falar. Se ouvir opinião diversa não retruque imediatamente. Processe a idéia diferente por algumas horas antes de chegar a alguma conclusão.
Dedique tempo a caridade e a ajudar os outros, sem esperar nada em troca.
Não caia na armadilha de se torna um “hater”. As redes sociais não são válvula de escape para as suas frustações.

E você ? O que acrescentaria ?

Dr. Alain Dutra – Médico 🖥 https://alain.med.br

Lives e textos sobre saúde e qualidade de vida. 📱Instagram @dralaindutra

Facebook.com/dralaindutra

R. Catequese 255 sala 53 bairro jardim, Santo André, SP. 11 4432-0289 / 4902-2038

1 COMENTÁRIO

  1. Excelente texto. Penso a mesma coisa quanto a esse “novo comportamento” e ainda pior a importância que hoje se dá ao pet, quantos aos cuidados. Se tivessem o mesmo cuidado junto à aqueles que realmente necessitam de atenção, nosso mundo seria diferente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.