Dieta mediterrânea rica em gordura não leva a aumento de peso

De acordo com os resultados do ensaio randomizado controlado espanhol PREvención con DIeta MEDiterránea (PREDIMED), seguir uma dieta mediterrânea que não restringe calorias e é rica em gorduras saudáveis como azeite de oliva ou nozes por cinco anos não causa ganho de peso, em comparação com uma dieta pobre em gorduras.

“Esses resultados têm implicações práticas, porque o medo de ganho de peso com alimentos ricos em gorduras não precisa mais ser um obstáculo para aderência a um padrão dietético como a dieta mediterrânea, que sabidamente fornece muitos benefícios clínicos e metabólicos, escreve o Dr. Ramon Estruch e colaboradores, do Centro de Investigación Biomédica en Red-Fisiopatología de la Obesidad y Nutrición (CIBERobn), de Barcelona, na Espanha.

“Eles também são relevantes para a saúde pública, porque fornecem suporte à não-restrição de ingestão de gorduras saudáveis no aconselhamento para a manutenção do peso corporal e saúde cardiometabólica geral, como reconhecido pelo Dietary Guidelines for Americans 2015 Advisory Committee”, acrescentam os autores.

O estudo foi publicado online em 6 de junho no periódico Lancet Diabetes & Endocrinology.

O estudo é o primeiro ensaio randomizado a avaliar os efeitos a longo prazo de uma dieta mediterrânea sem restrição de calorias no peso corporal e na circunferência abdominal.

No entanto, nos últimos 40 anos o aconselhamento dietético padrão para prevenção ou tratamento da obesidade tem seguido a orientação de restrição de calorias e maior atividade física, com uma crença persistente de que o alto consumo de gordura promove ganho de peso. Essas recomendações, entretanto, não necessariamente levaram em consideração os diferentes tipos de gordura.

A ideia de que toda gordura na dieta não é saudável levou muitos americanos a reduzirem o consumo de gorduras, com frequência ao custo de comer calorias vazias de comidas processadas, ricas em açúcar, sal e carboidratos. A demonização de todas as gorduras, entretanto, não conseguiu conter a “epidemia” de diabetes e obesidade no país.

Isso só reforça a idéia de que a dieta LCHF (“low carb, hi fat”, ou em português, baixo carbohidrato e rico em gorduras), baseada na dieta mediterrânea, realmente é a melhor opção para diminuir o risco de Diabetes, hipertensão arterial, AVC (derrame), e cânceres em geral, como o câncer de próstata. Veja meu post anterior sobre circunferência abdominal e aumento de risco de câncer de próstata agressivo.

Por mais paradoxal que possa parecer o aumento da gordura visceral e da circunferência abdominal está muito mais associado ao consumo de carbohidratos do que ao consumo de gorduras.

Se quiser se aprofundar mais leia aqui .

Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

Dieta Carnívora – Comer apenas carne faz bem? Funciona?

Dieta Carnívora - Comer apenas carne faz bem? Funciona? A dieta carnívora é uma nova tendência alimentar, especialmente após o lançamento em Agosto do segundo...

Cravo da índia – Auxilia a digestão e melhora o sistema imune

Cravo da índia - Auxilia a digestão e melhora o sistema imune O cravo da índia é o botão de flor extraído de uma árvore...

Novos Estudos da Ivermectina no combate ao COVID-19

Novos Estudos da Ivermectina no combate ao COVID-19 Novos estudos da Ivermectina, mostram uma meta-análise abrangendo 11 estudos controlados randomizados, conclui que o tratamento com Ivermectina...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

loading...