Existem mais de 100 doenças autoimunes conhecidas e aproximadamente 20% da população tem pelo menos uma delas ou mais de uma. 
 
Enquanto não há “cura” para a doença auto-imune, há remissão.  A boa notícia é que há mudanças na dieta e no estilo de vida, que você pode fazer para reduzir os sintomas e também chegar a uma remissão da doença. Enquanto uma boa alimentação é a sua primeira linha de defesa, suplementos de alta qualidade também podem dar um impulso ao seu corpo, especialmente durante os surtos auto-imunes.
 
Lembre-se: Nunca há um “tamanho único” quando se trata de suplementação e quando você tem uma doença auto-imune, portanto cada caso é único e deve ser analisado em todos os aspectos e individualmente.
 
Se você está atualmente tomando medicamentos prescritos para tratar sua doença autoimune, converse com seu médico para garantir que os suplementos que você está considerando usar possam ser tomados com segurança com sua medicação.
 
  1. Curcumina
A curcumina é o composto ativo da cúrcuma, conhecido por sua capacidade de ajudar a reduzir a inflamação, que muitas vezes é a raiz da autoimunidade. Também funciona para inibir certas doenças auto-imunes, como esclerose múltipla, doença inflamatória intestinal e artrite reumatoide, regulando citocinas inflamatórias em células do sistema imunológico. 
 
  1. Vitamina D
A vitamina D influencia mais de 200 genes. Isso inclui genes relacionados a doenças auto-imunes.
Além disso, como a vitamina D também modula (equilibra) sua resposta imunológica, o que a torna muito importante para a prevenção e tratamento de doenças auto-imunes, como esclerose múltipla, lúpus, Hashimoto, doença inflamatória intestinal, psoríase, entre outras.
 
  1. Glutationa  e  N-acetilcisteína (NAC)
A glutationa é o antioxidante mais potente do corpo e pode desempenhar um papel fundamental no apoio às pessoas com doença autoimune. Estudos mostram baixas concentrações de glutationa naqueles com artrite reumatoide e lúpus sistêmico, em particular, sugerindo que os níveis depletados desempenham um papel no desenvolvimento da autoimunidade.  
A glutationa também desempenha um papel na desintoxicação. Sem glutationa suficiente para ajudar o corpo a se desintoxicar, as toxinas podem se acumular e afetar negativamente a resposta imunológica do seu corpo.  
Já o N-acetilcisteína (NAC)  também  pode auxiliar no fornecimento de glutationa, mesmo após o esgotamento desta em seu organismo. Ao contribuir com o fornecimento de glutationa, o N-acetilcisteína (NAC) também é responsável por evitar sobrecargas de toxinas e infecções, assim beneficiando o metabolismo, a construção de músculos, força e a regulação do sistema imunológico.
 
  1. Glutamina 
A glutamina é um aminoácido comumente usado para dar suporte a um intestino permeável, que é uma parte fundamental da maioria das autoimunidades. (veja meu vídeo no Youtube sobre Intestino permeável).
A conexão entre o intestino permeável e  doenças auto-imunes se resume ao fato de que as toxinas podem vazar para a corrente sanguínea e desencadear uma reação imunológica. Quando isso acontece repetidamente, a doença autoimune pode se desenvolver e também se manter ativa.
A suplementação de glutamina pode ajudar a restaurar a integridade da mucosa intestinal, fortalecendo a barreira intestinal. 
 
  1. Probióticos
Probióticos são ótimos para apoiar a saúde intestinal e podem ser úteis para aqueles com doenças auto-imunes como artrite reumatoide, colite ulcerativa e esclerose múltipla. Um estudo descobriu que os probióticos ajudaram a diminuir os sintomas das articulações inchadas e sensíveis naqueles com artrite reumatoide e diminuíram os níveis de proteína C-reativa, que é um marcador de inflamação no corpo. 
Mas lembre-se que para quem possui uma doença auto-imune é importante, se for suplementar com probióticos,  fazer com acompanhamento médico para saber quais são os mais indicados para o seu caso. 
 
  1. Resveratrol
O resveratrol é um polifenol que age de forma semelhante aos antioxidantes e tem um efeito positivo sobre aqueles com doença auto-imune. Um estudo descobriu que a suplementação com resveratrol ajudou a reduzir a inflamação e até reduziu a progressão de doenças como lúpus sistêmico, doença inflamatória intestinal e diabetes tipo 1. 
O resveratrol também reduz as citocinas pró-inflamatórias, enquanto aumenta as citocinas anti-inflamatórias no corpo. Isso pode ajudar a tratar a inflamação intestinal crônica associada à doença inflamatória intestinal e à doença de Crohn. 
 
Links dos estudos:

2 COMENTÁRIOS

  1. Obrigada Doutor por suas explicações , tenho orgulho de ser sua paciente, e me sinto abençoada por tê-lo como medico você e a Dra Aninha. Abçs

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.