A deficiência de vitamina D foi associada a prevalência aumentada de disfunção erétil (DE) independentemente de risco de fatores para doença ateroesclerótica cardiovascular, de acordo com novo estudo (Atherosclerosis 2016;252:61-67).

Homens com níveis de 25OH-Vitamina D abaixo de 20 ng/ml apresentaram maior prevalência de DE (30%) e DE acentuada (80%), em comparação com homens com níveis ótimos – 30 ng/dl ou maior , após ajustes de vários fatores como comorbidades. A cada diminuição de 10 ng/dl na Vitamina D foi observado um aumento de 12% na prevalência de DE.

Os pesquisadores salientam que estudos clínicos randomizados e controlados são necessários para determinar se a suplementação com Vitamina D pode ser ou não um futuro tratamento para DE.

Entre os mecanismos que poderiam explicar esta relação entre deficiência de Vit D e DE, está o metabolismo endotelial, já que a DE é em última instância uma manifestação de disfunção endotelial. A vitamina D pode melhorar a função endotelial ao aumentar os níveis de óxido nítrico, através da regulação da óxido nítrico sintetase endotelial. O óxido nítrico é necessário para relaxamento dos músculos lisos dos corpos cavernosos e a subsequente ereção.

Eu já faço sistematicamente a reposição com Vitamina D em meus pacientes há bastante tempo. Cerca de 70% dos brasileiros tem alguma deficiência de Vit D.

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá doutor, eu tenho 18 anos e me sinto muito mal, constrangido e com a minha autoestima la em baixo por causa do meu amigo sem menor que a média, bem menor … tenho muita vergonha de falar sobre, mas eu gostaria de saber se ele ainda pode crescer mais ou se tem algum tipo de tratamento especifico ou algo do tipo ,que possa me ajuda ?

    • Bom dia meu querido. A medicina só considera micropênis quando for menor que 8 cm ereto ou 4 cm flácido. Veja aqui: Link do UOL

      A esmagadora maioria dos homens que acha que seu próprio pênis é pequeno na verdade é considerado normal se usado parâmetros médicos.

      Existem duas cirurgias (não recomendadas pelas sociedades médicas brasileiras e internacionais), para alterar as medidas do pênis:

      1. Cirurgia para aumentar o calibre do pênis com injeções de colágeno, teflon, entre outros
      2. Cirurgia para aumentar o comprimento do pênis ao soltar o ligamento suspensor do pênis

      A cirurgia número um costuma dar grandes problemas de deformidades penianas, eu já vi pessoalmente casos de homens em que o pênis ficou parecido com uma tromba de elefante, bem deformado.
      A cirurgia número dois deixa o pênis um a dois cm maior, mas o pênis não fica mais para cima, fica “olhando” para baixo, isso incomoda muita gente que faz essa cirurgia.

      Fora as cirurgias existem o jelqing (tipo de massagem peniana, também não recomendada pelas sociedades médicas, mas que em breve farei um levantamento na literatura a respeito) e os extensores penianos (também não recomendado, mas já li artigos científicos usando eles para tratamento de Doença de Peyronie, também vou fazer um levantamento a respeito)
      Então fica bem difícil para mim como médico responsável, te indicar qualquer um desses tratamentos mencionados anteriormente.
      O que posso te aconselhar é que você pode tentar por sua própria conta e risco o uso de extensores, mas com muito cuidado e após estudar muito sobre o assunto. Eu pessoalmente não tenho experiência a respeito, até mesmo porque isso é uma coisa “clandestina” pelo menos no Brasil e do ponto de vista médico. Espero que tenha te ajudado. Grande abraço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.