Tatuagem – Existem riscos para a saúde a curto e longo prazo?

Tatuagem – Existem riscos para a saúde a curto e longo prazo?

Durante anos, alguns países da Europa exigiram a rotulagem dos ingredientes da tinta de tatuagem e limitaram certos produtos químicos que podem causar câncer, danificar o DNA ou desencadear reações alérgicas.

Agora, a União Europeia está harmonizando as regras de tinta de tatuagem em todo o continente.

As novas regras determinam que os pigmentos chamados “Azul 15:3 e Verde 7” devem ser eliminados durante o próximo ano, devido aos riscos tóxicos.

Uma pesquisa em um site europeu de segurança do consumidor mostrou que dezenas de tintas de tatuagem foram retiradas do mercado nos últimos anos, devido a violações como quantidades excessivas de cobre, níquel, chumbo, cobalto e arsênico.

Reflexão sobre o real perigo da tatuagem para sua saúde

Isso abriu uma alerta para eu escrever sobre isso. Não estou querendo ser alarmista, mas sim realista, e em especial para você que tem ou está pensando em fazer uma tatuagem, mas já apresenta sintomas que não estão bem esclarecidos e diagnosticados, como:

  1. Névoa mental;
  2. Alergias e múltiplas intolerâncias alimentares;
  3. Insônia;
  4. Dores difusas;
  5. Problemas de pele e cansaço;
  6. Ou mesmo você que possui uma doença crônica.

Não está bem estabelecido como as tintas da tatuagem podem reagir ou prejudicar seu corpo a longo prazo, mas já sabemos dos danos que os metais tóxicos podem desencadear em seu corpo, alguns pigmentos e tintas de tatuagem podem conter esses metais.

Assista meu vídeo sobre Metais Tóxicos

Mas esses pigmentos das tintas podem entrar no nosso corpo?

Só nos últimos anos é que os cientistas compreenderam um pouco quais células da pele realmente absorvem e retêm o pigmento da tatuagem.

Sandrine Henri, do Centre d’Immunologie de Marseille-Luminy, diz que ela e seus colegas se interessaram pela melanina, um pigmento natural da pele, e como parte desse trabalho começaram a se perguntar como a pele lida com os pigmentos injetados em uma tatuagem.

“Olhamos a literatura e nada se sabia”, diz Henri.

Alguns pensavam que a tinta da tatuagem coloria um tipo comum de célula da pele chamada fibroblasto. Outros notaram que parte da tinta estava indo para as células imunológicas chamadas macrófagos.

Então sua equipe de pesquisa acabou fazendo um estudo com camundongos mostrando que os macrófagos devoram grandes quantidades de pigmento de tatuagem.

Mas quando essas células morrem, elas liberam o pigmento que é absorvido por novos macrófagos em um ciclo contínuo, porem não se sabe ao certo o dano que isso pode causar.

Estudo de acompanhamento sobre a tinta de tatuagem

Em um estudo de acompanhamento, ela e seus colegas descobriram que os fibroblastos também absorvem a tinta da tatuagem, mas não retêm tanto quanto os macrófagos.

O corpo pode tentar quebrar alguns componentes da tinta de tatuagem, mas a estratégia principal parece selá-la e mantê-la na pele.

Só que eles descobriram que este não é um processo perfeito…

Cirurgiões que fazem biópsias há muito tempo observaram que pessoas tatuadas podem ter nódulos linfáticos manchados da cor de suas tatuagens.

Há alguns anos, Dr. Schreiver analisa a pele humana tatuada e nódulos linfáticos de cadáveres.

Ele encontrou evidências de que partículas menores de pigmento podem de fato migrar da pele para os nódulos linfáticos.

Além disso, durante o processo de tatuagem não é incomum o aparecimento de gotas de sangue, mostrando que os vasos sanguíneos podem ser danificados e dar à tinta acesso à corrente sanguínea.

“E é muito provável que os pigmentos da tatuagem também acabem em outros órgãos, mas em uma quantidade menor em comparação com a pele e os gânglios linfáticos”, diz Schreiver.

Portanto, se alguns componentes da tinta de tatuagem podem se mover pelo corpo, os pesquisadores querem saber:

Existem riscos para a saúde a longo prazo?

Em muitos casos foram observadas reações de pessoas às tintas de tatuagem meses ou anos após a realização dela.

Dr. Liszewski, que também é epidemiologista do câncer, diz ser difícil investigar se os pigmentos das tatuagens no corpo aumentam ou não o risco de doenças como o câncer.

Sabe porque isso é complicado de saber?

Porque as tintas, na sua maioria não são regulamentadas como deveriam.

Qualquer esforço para descobrir teria que considerar todas as diferentes tintas usadas, as diferentes áreas de pele cobertas e os diferentes períodos de tempo que as pessoas faziam suas tatuagens.

Ainda assim, alguns pesquisadores na Europa estão agora procurando ver se as tatuagens têm alguma ligação com cânceres relacionados ao sistema imunológico ou de pele.

Um estudo realizado por Jorgen Serup, professor de dermatologia do Hospital da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, encontrou produtos químicos cancerígenos em 13 de 21 tintas usadas na Europa.

O professor quer aprofundar a investigação sobre os perigos potenciais para alertar as pessoas.

Alertas na Europa

algumas cores de tinta de tatuagem podem conter metais

O Departamento de Saúde Pública da Inglaterra publicou que, nas cores vermelhas, pode-se encontrar mercúrio e, nas verdes e azuis, cobalto.

Muitas das tintas de tatuagem de hoje contêm sais metálicos, óxidos, sulfetos e selenetos, de acordo com um estudo feito pelo Instituto de Saúde e Proteção ao Consumidor sobre tintas de tatuagem na Europa.

Muitos dos produtos químicos encontrados foram originalmente destinados ao uso na escrita, tintas automotivas e tintas de impressora.

Outro fato é que Nanopartículas são amplamente encontradas em tintas de tatuagem, com pigmentos pretos contendo as menores partículas que são ultra-microscópicas em tamanho, e são capazes de penetrar prontamente na pele e viajar para os vasos sanguíneos subjacentes e sua corrente sanguínea.

Além disso, as Tintas de tatuagem não regulamentadas podem conter hidrocarbonetos policíclicos (PAHs) causadores de câncer.

Falta de estudos sistêmicos sobre o efeito a longo prazo

Até o momento, não houve estudos sistêmicos para avaliar a segurança da injeção dessas tintas no corpo, portanto, os efeitos a longo prazo sobre a saúde permanecem desconhecidos.

Embora milhões de pessoas façam tatuagens a cada ano e parecem ter pouca ou nenhuma complicação, os efeitos colaterais associados à tinta de tatuagem e outros produtos cosméticos podem não ser aparentes, porque envolvem reações químicas e hormonais dentro do corpo e de longo prazo.

E muitas vezes a pessoa não ira associar a tatuagem feita anos atrás, aos seus sintomas atuais.

Intoxicações crônicas

As intoxicações crônicas por acúmulo de metais e substâncias tóxicas no corpo podem se manifestar de diversas formas.

  • Doenças neurológicas, ligadas ao aparecimento de doenças como Alzheimer, Parkinson e o autismo;
  • Aumento de doenças alérgicas (como rinite e bronquite);
  • Dermatoses (crises alérgicas que atacam a pele);
  • Perda cognitiva, alterações de humor e cansaço;
  • Disfunções gastrointestinais;
  • Deficiência de certas vitaminas e minerais;
  • Alterações no metabolismo do cálcio;
  • Disfunções pulmonares, renais e hepáticas;
  • Deficiências na função reprodutora;
  • Aparecimento de cânceres;
  • Problemas hormonais.

E riscos das tatuagens a curto prazo?

Um estudo conduziu biópsias de pele em reações de tatuagem vermelha e determinou que a dermatite era o problema primário, em muitos casos devido a uma resposta alérgica.

O pigmento vermelho irritava a pele e o corpo por meio de vários mecanismos. Além do vermelho, as cores rosa e roxa também estavam envolvidas nas reações alérgicas.

Pesquisadores do NYU Langone Medical Center entrevistaram 300 pessoas no Central Park de Nova York.

Daqueles que tinham uma tatuagem, mais de 10% disseram que desenvolveram reações anormais como resultado, incluindo dor, coceira e infecção que às vezes exigia antibióticos.

Embora a maioria das infecções seja adquirida com agulhas sujas e ambientes ou práticas não higiênicas, a tinta pode transportar bactérias que levam à infecção, e essas infecções podem ser acompanhadas por vermelhidão, bolhas, secreção, inchaço e dor no local.

Alguns correm mais risco de infecção do que outros?

Mesmo a pessoa mais saudável pode adquirir uma infecção devido à tinta de tatuagem; no entanto, aqueles que têm diabetes, sistema imunológico comprometido, doença cardíaca ou circulatória correm maior risco de infecção e outros efeitos adversos.

Reações ruins, de acordo com o FDA Americana, podem não ocorrer logo após a tatuagem, podem também aparecer meses depois.

O grande número de tintas, produtos químicos e pigmentos usados na tatuagem podem causar uma infecção.

Os anti-sépticos usados nos cuidados de máquinas de tatuagem e agulhas são importantes na prevenção de infecções.

Portanto, selecionar um tatuador profissional e de boa reputação é uma parte muito importante na prevenção de infecções, caso mesmo assim você deseje fazer uma.

Não há garantia de que não ocorrerão reações adversas, visíveis ou não, independentemente do tatuador.

No entanto, todos os consumidores devem estar cientes dos riscos envolvidos para tomar uma decisão informada.

Estudos e fontes:

 

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

O que é Alergia e Rinite Alérgica?

O que é Alergia e Rinite Alérgica? A principal função do nosso sistema imunológico é nos proteger de antígenos (substâncias estranhas ao organismo que desencadeiam...

Incontinência urinária – 6 tipos mais comuns e tratamentos

Incontinência urinária - 6 tipos mais comuns e tratamentos A incontinência urinária afeta 23-31% da população idosa e estima-se que afete 50-65% de ambos os...

Hormônios e ligação com Artrite

Hormônios e ligação com Artrite As doenças autoimunes são mais comuns em mulheres do que em homens e as condições inflamatórias autoimunes artríticas têm tendência...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect