Você deveria pensar duas vezes antes de usar esses remédios

Você deveria pensar duas vezes antes de usar esses remédios

Existem cinco tipos de remédios que são extremamente comuns e que podem ter um impacto muito grande na sua saúde se tomados em exagero ou se não tiver um bom motivo para serem tomados

O objetivo desse artigo não é fazer você parar os remédios de maneira abrupta, irresponsável e sem orientações, sempre faça isso com orientação médica.

Assista ao vídeo sobre remédios perigosos no meu canal do Youtube.

01 – Os perigos dos remédios Estatinas

A primeira classe que eu gostaria de discutir são as estatinas, que são os principais remédios que baixam o colesterol.

Elas viraram uma febre nos últimos 30 anos porque 5 estudos grandes (com problemas de metodologia) apontaram que as estatinas reduziriam de 20 a 30% o risco de infarto.

O problema é que isso é risco relativo e não absoluto.  

Eu trato um grupo de mil pessoas por 5 anos com pílula de farinha e outro grupo de mil pessoas por 5 anos com Estatina. Se após 5 anos no grupo com pílula de farinha infartarem 8 pessoas e no grupo de estatina infartarem 6 pessoas; 

De 8 para 6, houve uma redução de risco relativo de 25% nos infartos. Porém a redução de risco absoluto foi de apenas 0,02%.

Entendeu a mágica da estatística?

Existem mais de 25 fatores de risco para doença cardiovascular e só falam no colesterol. Colesterol não é bandido, é mocinho, para saber mais assista meus outros vídeos sobre esse assunto. 

                     Para saber mais sobre colesterol , assista esse vídeo!

 

TIPOS E NOMES COMERCIAIS DAS ESTATINAS:

  • Sinvastatina genérica, Clinfar, Cordiron, Sinvalip, Sinvascor, Sinvastacor, Sinvastamed, Sinvaz, Vastatil, Zocor
  • Atorvastatina: Citalor, Lipitor
  • Fluvastatina: Lescol
  • Lovastatina genérica, Mevacor, Reducol, Lovax, Lovasterol
  • Pravastatina genérica, Mevalotin, Pravacol
  • Rosuvastatina: Crestor, Vivacor

Alguns dos efeitos colaterais desses remédios são:

Dores musculares e cãibras, que em casos mais raros podem evoluir para cansaço no corpo, febre, diarreia e urina escura.

  • Aumento do açúcar no sangue e diabetes.
  • Perda de memória e de processamento cerebral.
  • Problemas de funcionamento dos rins.
  • Aumento do risco de alguns cânceres.

Só tome estatinas se não tiver outra opção e sempre discuta com seu médico sobre outras alternativas.

                     Para saber mais sobre os perigos das Estatinas , assista esse vídeo!

 

02 – Os perigos dos remédios bloqueadores de canal de próton

A segunda classe que eu gostaria de mencionar aqui são os bloqueadores de canal de próton, os chamados “prazóis”.

Isso também virou febre nos últimos 30 anos. Eles foram revolucionários a partir do final dos anos 1980 para acabar com as úlceras pépticas perfuradas que eram uma das principais causas de cirurgias de urgência até aquele momento. 

O problema aconteceu quando resolveram usar os “prazóis” para tratar os refluxos, esse tipo de remédio nunca vai curar o refluxo, a cura do refluxo passa por outras medidas; e o uso prolongado de bloqueadores de canal de próton vai gerar uma série de problemas.

                     Para saber mais sobre como curar o refluxo , assista esse vídeo!

 

Se você usar por muitos anos pode ter:

  • Problema de absorção de minerais, vitaminas, e os aminoácidos que são os constituintes das proteínas; e assim o risco de demências e osteoporose vai aumentar muito.
  • Doenças nos rins.
  • Infecções de repetição, já que o ácido do seu estômago te defende de um monte de bichos;
  • Aumento do risco de infarto do miocárdio.

Então tente não usar os “prazóis” por mais de 6 semanas, se precisar usar mais tempo, melhor consultar um gastro ou mesmo um médico geral que trabalhe com medicina funcional e de estilo de vida.  

Hoje eu conheço um monte de pessoas tomando esses remédios por anos a fio, e o pior, com aumento de riscos de problemas e sem curar doença nenhuma.

                            Para saber mais sobre os perigos dos “prazóis” , assista esse vídeo!

 

03 – Os perigos dos remédios analgésicos

A terceira classe que eu gostaria de discutir aqui são os analgésicos, especialmente o paracetamol também conhecido como acetaminofeno.

Esse remédio é responsável por centenas de pessoas todos os anos entrando na fila de transplante de fígado. Isso porque muitas pessoas abusam de analgésicos, e nos EUA eles não usam dipirona, portanto acabam usando mais o tylenol (paracetamol).

O paracetamol, além de ser muito tóxico para o fígado, tem evidências de que ele afeta as emoções, deixando os usuários com uma atitude apática, com menos reações aos estímulos positivos e negativos; pode afetar o cérebro das crianças atrapalhando o desenvolvimento neurológico, e também pode aumentar muito o risco de crise asmática nos pequenos.

Os analgésicos em geral afetam muito o fígado, o estômago e os rins. Então toda a vez que você pensar em usar um analgésico por períodos longos de tempo, pense duas vezes. Esses riscos não acontecem se você usar dois ou três dias, mas se usar por semanas.

É melhor tratar a origem da dor e existem alternativas naturais muito mais saudáveis para o controle da dor crônica.

                            Para saber mais sobre alternativas naturais aos analgésicos, assista   esse vídeo!

 

04 – Os perigos dos remédios Anti-inflamatórios

A quarta classe é a dos anti-inflamatórios comuns, os chamados não esteroidais. Os mais conhecidos são o Nimesulide, o diclofenaco e o ibuprofeno.

Eles em geral podem causar:

  • Aumento no risco de ataque cardíaco ou infarto.
  • Enfraquecem muito a barreira do estômago e dos intestinos.
  • Aumentam o risco de úlceras e sangramentos intestinais.
  • Podem causar perda de audição.
  • Se tomados no início da gestação podem aumentar o risco de abortos nas primeiras oito semanas. 

Então, novamente, se for usar use por poucos dias, nunca use por semanas a fio, tem alternativas mais saudáveis e seguras.

Para saber mais sobre alternativas naturais anti-inflamatórias , assista esse vídeo!

 

05 – Os perigos dos remédios Antibióticos

A quinta classe são as dos antibióticos. Tem situações em que eles são inevitáveis e muito importantes, mas se você procurar um pronto socorro com sintomas gripais, em metade das vezes vai sair de lá com uma receita de um antibiótico desnecessário.

Os remédios antibióticos se usados de forma indiscriminada ou por vários ciclos seguidos podem provocar:

– Desequilíbrios no organismo sendo o principal a disbiose. Vai acontecer uma bagunça na composição das bactérias dos seus intestinos e vai proliferar fungos.

Aí seu intestino não vai funcionar direito e isso vai afetar o funcionamento do seu cérebro também, vai ter mais descontrole emocional e mais dificuldade de pensamento e de concentração, já que a maior parte da serotonina e vários outros neurotransmissores vem dos intestinos e vai para o cérebro através do sistema circulatório e do nervo vago.

Cada antibiótico tem uma série de efeitos colaterais únicos, mas todos eles desequilibram o microbioma intestinal. Então evite o máximo possível o uso dos antibióticos, lembrando que metade das vezes em que eles são prescritos eles não são necessários.

Para saber mais sobre como ter um intestino saudável , assista esse vídeo!

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

O que é Alergia e Rinite Alérgica?

O que é Alergia e Rinite Alérgica? A principal função do nosso sistema imunológico é nos proteger de antígenos (substâncias estranhas ao organismo que desencadeiam...

Incontinência urinária – 6 tipos mais comuns e tratamentos

Incontinência urinária - 6 tipos mais comuns e tratamentos A incontinência urinária afeta 23-31% da população idosa e estima-se que afete 50-65% de ambos os...

Hormônios e ligação com Artrite

Hormônios e ligação com Artrite As doenças autoimunes são mais comuns em mulheres do que em homens e as condições inflamatórias autoimunes artríticas têm tendência...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect