Os riscos da exposição a radiação eletromagnética dos celulares

Os riscos da exposição a radiação eletromagnética dos celulares 

Os riscos da exposição a radiação eletromagnética dos celulares, em especial, os efeitos negativos na saúde da Tireoide.

Somos bombardeados por radiação eletromagnética de vários dispositivos tecnológicos em uso hoje, mas não sabemos realmente o suficiente sobre o impacto em nosso corpo.

Talvez daqui a uns 20, 30 ou 50 anos isso possa estar mais claro.

Como não sabemos ao certo, esse pode ser um motivo perfeito para tomar cuidados extras, principalmente com telefones celulares, tablets e wi-fi.

A radiação eletromagnética é realmente segura?

Provavelmente, você está sentado em um campo eletromagnético (EMF) neste exato momento.

O Instituto Nacional de Ciências da Saúde Ambiental descreve eles como áreas invisíveis de energia, frequentemente chamadas de radiação, que estão associadas ao uso de energia elétrica e várias formas de iluminação natural e artificial.

A energia nestes fluxos podem variar amplamente no poder e é medida pelo espectro eletromagnético.

Este tipo de radiação pode ser benéfica, inofensiva ou extremamente perigosa para os seres humanos, dependendo da fonte, nível de radiação e duração da exposição.

As fontes artificiais de radiação vêm de vários tipos de dispositivos, incluindo:

  • micro-ondas;
  • telefone celular;
  • medidores inteligentes;
  • transmissões de TV e rádio;
  • computadores;
  • linhas de energia;
  • dispositivos de rastreamento;
  • roteadores;
  • ondas ultravioletas;
  • raios-x e raios gama.

Estamos praticamente cercados delas o tempo todo e muitas delas, são extremamente importantes para a evolução em que chegamos hoje em dia.

Fontes de radiação eletromagnética

As fontes de radiação eletromagnética são divididas em baixa e alta frequência.

Isso significa que quanto mais baixa a frequência, menor os possíveis problemas decorrentes dela para o nosso corpo.

A Organização Mundial da Saúde observa que as ondas eletromagnéticas de baixa e alta frequência afetam o corpo humano de maneiras diferentes.

Porém, ainda não se sabe ao certo como isso se dá, ao longo do tempo, mesmo para as baixas frequências.

Os Celulares

Não vivemos mais sem eles, não é?

Você já percebeu que seu celular fica muito quente quando você está dirigindo?

Quando seu telefone está em alta utilização, em uma ligação que dura muito, incluindo quando você está usando o GPS, seu telefone está trabalhando muito para mantê-lo atualizado.

Quanto mais ele tem que trabalhar, mais ondas prejudiciais às células ele pode espalhar bem próximo ao seu corpo.

Existem estudos sobre o efeito do uso de telefones celulares?

Os últimos 10 anos de estudos sobre a radiação eletromagnética dos telefones celulares e câncer produziram resultados conflitantes.

Atualmente, não há consenso sobre o grau de risco de câncer representado pelo uso de telefones celulares.

Tivemos poucas pesquisas, algumas mostraram conflitos de interesses, outras parecem válidas mas precisam de mais estudos, como estudos de casos.

Os pesquisadores conduziram dois estudos separados, um em uma mulher saudável vegetariana de 38 anos e outro focando em uma mulher saudável de 21 anos.

Ambos carregaram telefones celulares em seus sutiãs por vários anos. O que você acha que aconteceu?

Um câncer de mama agressivo se desenvolveu no local onde o telefone celular fica junto ao corpo.

Mas, como não temos pesquisas suficientes neste momento, carregar telefones celulares no corpo provavelmente não é a melhor escolha.

Estudo sobre os efeitos na Tireoide

Em um estudo pioneiro publicado no Oman Medical Journal, os pesquisadores descobriram que estudantes que usaram com muita frequência o telefone celular no modo de ligação, experimentaram uma alteração significativa nos níveis do hormônio estimulador da tireoide (TSH).

Foram observados níveis de TSH acima do normal e níveis médios de T4 baixos.

Os autores do estudo afirmam que “com base nesses resultados, pode-se concluir que os campos eletromagnéticos emitidos por telefones celulares podem causar alguns efeitos prejudiciais na função tireoidiana”.

A radiação eletromagnética do telefone celular pode desencadear efeitos negativos no eixo hipotálamo-hipofisário da tireoide, alterando os níveis normais do hormônio tireoidiano.

Estudos dos EUA

Um estudo realizado pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale, nos EUA, revelou uma clara conexão entre o uso de aparelhos celulares e uma maior propensão a se desenvolver o câncer de tireoide.

Os cientistas que conduziram o estudo examinaram 176 genes no total e descobriram que os participantes que apresentavam determinadas formas de polimorfismo de nucleotídeo único – um tipo de variação na sequência do DNA – eram 2 vezes mais propensos a desenvolver o câncer do que os indivíduos sem as tais alterações genéticas.

Segundo os pesquisadores responsáveis pelo levantamento, pessoas com polimorfismo – condição conhecida também pela sigla em inglês SNP – parecem ser mais vulneráveis à radiação eletromagnética emitida pelos aparelhos, em especial o celular.

Publicado na revista Environmental Research, acredita-se que o estudo seja o primeiro a examinar a influência combinada da suscetibilidade genética e do uso do telefone celular (radiação de radiofrequência) em relação ao câncer de tireoide.

Danos aos espermatozoides

Homens, por favor, pensem duas vezes antes de manter o celular no bolso ou preso ao cinto da calça.

Espermatozoides de homens expostos à radiação eletromagnética de telefones celulares morrem três vezes mais rápido do que aqueles não expostos à radiação.

O esperma também sofre três vezes mais danos ao DNA mitocondrial.

Câncer cerebral

O que se sabe é que radiação eletromagnética vinda do telefone celulares pode causar um tipo raro de câncer no cérebro, de acordo com Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (Iarc, na sigla em inglês), um braço da Organização Mundial de Saúde (OMS).

As últimas evidências sugerindo que a radiação sem fio representa um enorme risco para a saúde pública vem de dados divulgados de um grande estudo do Programa Nacional de Toxicologia dos EUA.

Os pesquisadores descobriram que a exposição à radiação eletromagnética de telefone celular de sinal muito alto, levou a um risco aumentado de gliomas malignos no cérebro e Schwannomas do coração em ratos machos.

Schwannomas são tumores que se formam na bainha do nervo.

Evitar a exposição da radiação eletromagnética quando possível

A Organização Mundial de Saúde concorda que há evidências limitadas de que a radiação eletromagnética do celular seja um agente causador de câncer, mas também que não existem provas do contrário.

Como resultado, o grupo classificou os campos eletromagnéticos de radiofrequência como possivelmente cancerígenos para as pessoas, e ressaltando que mais pesquisas devem ser feitas.

Ter o celular ligado a você o tempo todo é um risco desnecessário que não recomendo você correr.

É melhor evitar a exposição quando possível, especialmente para nossos filhos, uma vez que eles usarão telefones celulares por uma porcentagem muito maior da vida do que muitos de nós.

Lembre-se que levou décadas para provar que o cigarro causava câncer de pulmão.

Como já há também evidências de que os telefones celulares prejudicam o sono e o metabolismo da glicose e aumentam o risco de câncer e problemas na tireoide, sugiro o uso do princípio da precaução!

Não podemos ficar sem eles, mas podemos seguir etapas simples para manter o telefone mais longe do corpo.

Algumas dicas:

  1. Use mensagem de texto sempre que possível;
  2. Prefira usar o Celular no modo viva-voz, deixando ele sobre uma mesa, longe do corpo, ao invés de usa-lo próximo a orelha;
  3. Se precisar falar com ele próximo ao ouvido, tente não mantê-lo encostado e sim com uma distância de 5 cm ou mais;
  4. Evite carregar o celular em bolsos de calças ou camisas, ou mesmo junto ao corpo. Prefira coloca-lo em uma bolsa ou mala/mochila se precisar sair com ele.
  5. Evite falar ao telefone quando está dirigindo, no ônibus, metro ou elevador. Em movimento o celular trabalha mais para manter o sinal através do metal, então a radiação aumenta;
  6. Mantenha os telefones celulares longe do alcance das crianças e de suas bocas, celular não é brinquedo;
  7. Se possível, evite fazer chamadas quando o sinal estiver mais fraco. A radiação é mais alta quando a bateria esta mais baixa;
  8. Não use o celular como despertador. Na hora do sono mantenha ele longe da cama e em modo avião;
  9. Mantenha o quarto livre de campos eletromagnéticos, seja do celular, ou outros aparelhos eletrônicos. Você passa muito tempo lá e as tecnologias podem afetar seu sono e também seu DNA;
  10. Se você usar rede Wi-Fi em casa, desconecte-a quando não estiver em uso e certifique-se de manter o roteador longe de áreas onde você ou seus familiares passam muito tempo;
  11. Faça Aterramento.

FONTES E REFERÊNCIAS

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

Como ficar muito tempo sentado pode afetar a sua saúde

Como ficar muito tempo sentado pode afetar a sua saúde Você passa muitas horas sentado? Você sabia que esse hábito pode lhe trazer inúmeros problemas...

Conheça os 6 tipos de Alzheimer

Conheça os 6 tipos de Alzheimer De acordo com dados atualizados, há uma estimativa de que existam 35,6 milhões de pessoas com Alzheimer no mundo,...

Acetilcolina e a importância para a função cerebral

Acetilcolina e a importância para a função cerebral Você tem tido dificuldade para se focar em algo? Ou anda se esquecendo de mais coisas do...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect