Fermento Faz Mal? Quem Não deve consumir.

Fermento Faz Mal? Quem Não deve consumir.

Cuidado com o Fermento Químico e Biológico. Quem Não deve consumir.

Olá pessoal, tudo bem? Será que aquele fermento químico ou biológico que é usado para fazer os pães, tortas e bolos crescerem e ficarem fofos faz mal para a saúde?

Nesse artigo, vou mostrar que nem todo mundo pode consumir esses fermentos e que algumas pessoas podem ter intolerância ao fermento e isso vai causa muitos sintomas, como gases, estufamento, cólicas abdominais e diarreia.

Também vou contar sobre a fermentação natural, que pode ser uma opção interessante e mais saudável e vou passar a receita de um fermento barato e simples feito em casa que pode ser uma opção melhor se você sofre de doenças intestinais.

Atenção amigos, se você tem problemas digestivos, problemas com gases ou glúten, então fique ligado nas dicas!

Primeiramente pessoal, é claro que devemos evitar consumir com frequência alimentos como pães e bolos, certo?

Você que acompanha o minhas mídias já sabe muito bem que o excesso de carboidratos e açucares são realmente grandes vilões da nossa saúde.

Hoje eu quero alertar que mesmo que você não consuma glúten, e faça seu pão ou bolo Low carb e mais saudável em casa, ainda assim, você pode ter problemas por conta do fermento.

Pra que quem Fermento Faz Mal?

Mas não se desespere, não é todo mundo que tem problemas com fermento e existem soluções mais saudáveis que vou contar aqui.

Existem alguns tipos diferentes de fermentação e vou explicar rapidamente um pouco sobre cada.

Mas, basicamente para você entender melhor, a levedura é um fungo e tanto padeiros e cervejeiros usam algumas espécies de leveduras na fermentação para produção de alimentos e bebidas.

Intolerância a leveduras e fungos

Algumas pessoas têm alergia ou intolerância a essas leveduras. Se você é alérgico a levedura, pode ter urticária ou sofrer uma reação anafilática ao consumi-la e se você tem intolerância ou sensibilidade a leveduras, o fermento faz mal e pode causar problemas digestivos diversos, dores e até fadiga.

Muitas pessoas com alergia e até mesmo com intolerância as leveduras também são alérgicas a outros fungos, como o mofo, aquele que cresces nas paredes e lugares escondidos na sua casa.

Assista meu vídeo Doença do MOFO! Entenda o problema.

Se você tem alergia a fungos, evite comer alimentos com fermento, alimentos mofados e alimentos que envolvam outros fungos em sua produção, como cogumelos e kombuchá.

Outro detalhe muito importante é que a sensibilidade ao fermento pode ser um fator na síndrome do intestino irritável, no SIBO que é o supercrescimento bacteriano do intestino delgado e no SIFO supercrescimento fúngico no intestino.

Se você foi diagnosticado com isso, o pão não é a única coisa a evitar, alimentos com fermento podem trazer sintomas bem desagradáveis como inchaço abdominal, cólicas, gases e diarreia.

Assista meu vídeo Arrotos – o que fazer

Fermentação natural

Talvez você já tenha ouvido falar sobre a fermentação natural mas não sabe a diferença entre o fermento natural e o fermento biológico industrializado.

Basicamente, eles são muito parecidos, mas a diferença é que o fermento natural é feito um processo bem lento e com microrganismos que já estão no ar e as principais bactérias que realizam a fermentação natural são os lactobacilos.

Já o fermento biológico industrializado é feito em laboratório usando apenas leveduras (espécie Saccharomyces) ou seja, fungos. Aí que mora o problema, pessoal.

O fermento biológico industrializado pode ser encontrado nas seguintes variedades:

  • fresco, que é o mesmo vendido nas padarias, que é aquele tablete quadrado e firme que deve ser conservado em geladeira, durando no máximo 15 dias;
  • e o biológico seco e instantâneo, com durabilidade maior que pode chegar a 6 meses, possuindo alto poder de fermentação.

Ambos podem ser prejudiciais para quem tem sensibilidade aos fermentos e para aqueles com problemas intestinais, como já mencionei.

Será que existe alguma vantagem da fermentação natural sobre a biológica?

Existe sim pessoal. A fermentação natural, por ser mais longa que a biológica, pode ser menos explosiva em termos de fermentação no intestino e pode ser mais simples de digerir para algumas pessoas, mesmo assim nem todos se dão bem com ela.

Outra coisa é que a alguns especialistas dizem que o fermento natural consegue quebrar o glúten em proteínas mais simples.

A vantagem é que em vez de fazermos este processo digestivo em nosso organismo, as bactérias fazem por nós.

O fermento natural sempre foi utilizado pela humanidade, mas a industrialização do final do século XIX introduziu o fermento biológico que acabou ganhando mercado por ser mais prático.

Alguns estudos associam esse movimento à gradual intolerância ao consumo de pães e ao glúten. Só por curiosidade, existem associações da sensibilidade ao glúten com três possíveis causas.

É possível que a intolerância ao glúten tenha aparecido por conta da introdução da fermentação biológica industrializada.

Intolerância ao glúten

Também há quem defenda que os sintomas da chamada “intolerância ao glúten” são muito semelhantes aos sintomas gerados pelo glifosato, portanto o agrotóxico poderia ser a real causa.

E outra teoria defende que seria por modificação genética no trigo moderno, que atualmente tem 20 vezes mais glúten no trigo do que há 40 anos. Bem pessoal, de qualquer forma o ideal é evitar o glúten ao máximo.

E quanto ao fermento químico em pó?

Aquele que todo mundo tem em casa. Ele tem um princípio de ação diferente dos demais fermentos porque funciona na base de uma reação entre bicarbonato de sódio e substâncias misturadas que se tornam ácidas no contato com a água.

Lembre-se de que os fermentos funcionam porque existe liberação de gás carbônico ou pequenas bolhas, e é isso que faz a massa crescer.

No caso do pó químico, o gás é liberado de uma vez e a massa começa a crescer na hora, fazendo uma fermentação mais rápida.

Será que existem perigos ocultos no consumo de fermento químico?

A primeira coisa que vocês precisam saber é que algumas marcas de fermento químico possuem amido de milho modificado geneticamente, uma escolha não muito saudável.

Além disso, possui alumínio em sua composição que pode comprometer a sua cognição e contribuir para a demência ao longo do tempo.

Claro, isso sem contar que a fermentação mais rápida não é tão interessante quanto parece porque é menos digestiva que a fermentação lenta e natural.

Receita para fermento natural

Bom, se você não tem tempo para se dedicar a uma fermentação lenta e natural, você pode tentar substituir o fermento químico em pó por um mais natural.

Você pode fazer seu próprio fermento em casa, basta adicionar

  • 1⁄2 colher de chá de cremor de tártaro;
  • ¼ de colher de chá de bicarbonato de sódio;
  • ¼ de colher de chá de fécula de batata ou amido de milho orgânico.

Pronto! Se por acaso você não tiver cremor de tártaro em casa, é só substituir ½ colher de chá de cremor de tártaro por 1 colher de suco de limão.

Diferença entre a levedura da cerveja e a levedura nutricional

Ainda falando sobre leveduras, você por acaso sabe a diferença entre a levedura da cerveja e a levedura nutricional?

A levedura da cerveja ou levedo de cerveja, converte açúcar em álcool e este processo de fermentação é muito usado pela indústria de bebidas para fabricar cervejas, rum, uísque etc.

A espécie mais comum desta levedura é a Saccharomyces cerevisae, que também é conhecida popularmente como levedura de padeiro ou da cerveja.

As leveduras têm vários benefícios para a saúde sim, são ricas em vitamina do complexo B e possuem alto valor proteico.

Já a levedura nutricional é um fermento alimentício inativo que as pessoas podem consumir em cápsulas ou na forma de pó ou flocos, possuindo muitas vitaminas e minerais, além de combater a fadiga, queda de cabelo e depressão.

A levedura nutricional tem um sabor que lembra nozes ou queijo salgado. Ela é muito utilizada pelos veganos para fazer queijo e tem excelentes valores nutritivos.

Mas nem todo mundo pode consumir elas porque existem efeitos colaterais igual aos do fermento biológico, ou seja, problemas digestivos diversos.

Outro problema é que a levedura nutricional pode conter uma grande quantidade de tiramina, uma substância que pode causar enxaqueca ou dores de cabeça em algumas pessoas.

Além disso, a tiramina pode interagir com alguns medicamentos, como os inibidores da monoamina oxidase, que são uma classe de antidepressivos. Na dúvida, consulte seu profissional de saúde de confiança.

Afinal o fermento faz mal?

Se você apresenta doença inflamatória no intestino ou alguma intolerância ao consumo de leveduras, é melhor suspender o consumo de alimentos fermentados ou com fermentos, de todos os tipos.

Se você possui supercrescimento de fungos em seu intestino ou problema com o fungo da cândida, deveria tomar muito cuidado ao ingerir levedura nutricional, e isso vale também para a levedo da cerveja, que é usada na fabricação de bebidas alcoólicas e para os fermentos usados em pães e bolos.

Assista meu vídeo O que fazer para me livrar da candida e fungos?

Caso a levedura nutricional esteja na forma de suplemento seco em pó ou em flocos, na forma inativada, ela não representa perigo na maior parte dos casos.

Meu conselho final para você que tem desconforto abdominal ou sofre de gases e doenças intestinais é que dê preferência para alimentos com fermentação natural ou mesmo que você faça seu fermento caseiro com bicarbonato e cremor tártaro, porque eles facilitam o processo digestivo.

Mas mesmo fazendo o fermento natural em casa, é importante que você observe se não tem algum tipo de desconforto digestivo ou intestinal, bem como possíveis sensibilidades, pois neste caso seria interessante suspender seu uso.

Referências

  1. https://www.madrepaesartesanais.com.br/fermento-natural/
  2. https://www.madrepaesartesanais.com.br/fermento-quimico/
  3. https://www.veggytime.com.br/index.php/2017/02/13/fermento-quimico-alerta-importante/
  4. https://www.carinapalatnik.com.br/levedo-de-cerveja-ou-nutricional-qual-a-diferenca-e-como-consumir/
  5. https://www.healthline.com/nutrition/nutritional-yeast-dangers
  6. https://www.thehealthyhomeeconomist.com/nutritional-yeast-dangers/
  7. https://www.estadao.com.br/emais/comida-de-verdade/saiba-porque-o-gluten-causa-mais-problemas-hoje-do-que-no-passado/
  8. https://www.webmd.com/diet/foods-high-in-yeast#:~:text=Some%20people%20have%20a%20yeast,yeast%20may%20cause%20digestive%20issues.&text=Many%20people%20with%20a%20yeast,to%20other%20fungi%20like%20mold.
36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista. Além dos aspectos tradicionais de uma consulta médica, busco avaliar a sua vida como um todo, para entender onde seus hábitos de vida (sejam esses alimentares, de exercícios ou níveis de estresse) estão contribuindo para o seu atual estado de saúde.

Mais Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

Oxalatos – A pior toxina vegetal causa pedra nos rins, dores e fadiga

Oxalatos - A pior toxina vegetal causa pedra nos rins, dores e fadiga. Vocês já ouviram falar em oxalatos? Sem dúvida, é a pior toxina vegetal...

Soja faz mal? Conheça o lado bom e o lado ruim da soja

Soja faz mal? Conheça o lado bom e o lado ruim da soja https://www.youtube.com/watch?v=MHZ8wBH_G7Y https://www.youtube.com/watch?v=rhqxJGw-tbk https://www.youtube.com/watch?v=d0l9vk_Skac A partir dos anos 1990 houve uma explosão no consumo de soja...

Glutamato monossódico: O assassino silencioso

Glutamato monossódico: O assassino silencioso O glutamato monossódico é um realçador de sabor adicionado a milhares de alimentos e é um dos piores aditivos do...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect