Desidratação – Você está bebendo água suficiente?

Desidratação – Você está bebendo água suficiente?

Hoje temos que falar sobre um assunto muito importante: a desidratação.

Se você ficar desidratado, mudanças drásticas em seu corpo podem ocorrer imediatamente.

O pior é que só 42% do que os brasileiros bebem é água pura. Sucos, chás, refrigerantes e café têm preferência muitas vezes.

Bebidas já doces e que os consumidores adicionam ainda mais açúcar, pioram ainda mais o quadro geral.

O pior é que somente 12% dos brasileiros adultos têm consciência da importância de se manter hidratado.

Os perigos da desidratação 

A desidratação mais séria afeta mais atletas, pessoas que realizam trabalho manual ao ar livre, crianças pequenas, pessoas com problemas gastrointestinais e idosos.

Mas muitas pessoas estão em um estágio leve de desidratação e não percebem, ou sabem.

Ela ocorre quando há uma redução prejudicial na quantidade de água no corpo, que pode levar também à perda de eletrólitos, principalmente o sódio.

Os graus de desidratação 

Ela pode ser leve, moderada ou grave.

  1. É leve quando o corpo perdeu cerca de 2% de seus fluidos totais;
  2. Moderada com uma perda de 5% e;
  3. Severa quando o corpo perdeu cerca de 10% de seus fluidos.

A desidratação severa é considerada uma emergência com risco de morte.

Eletrólitos são substâncias que são necessárias em níveis específicos no corpo para transportar sinais elétricos, ajudar a manter o PH equilibrado e manter funções críticas, como ritmos cardíacos e sinalização nervosa.

As partes do corpo que mais dependem desse equilíbrio — e, portanto, são especialmente propensas aos danos causados pela perda de fluidos — incluem o cérebro, o sistema nervoso central e o sistema muscular.

Quais são os sinais e sintomas?

A desidratação vai muito além de sentir muita sede. Sinais de desidratação também podem incluir:

  • tensão no pescoço ou mandíbula;
  • prisão de ventre;
  • vômitos;
  • espasmos musculares persistentes.

Os sinais de alerta mais comuns e os sintomas incluem:

  • boca seca;
  • sonolência;
  • sede;
  • diminuição da quantidade de urina;
  • fraqueza muscular;
  • fadiga;
  • dor de cabeça;
  • tontura;
  • náusea e diarreia;
  • pele e cabelos secos.

Qual é a maneira mais rápida de curar a desidratação?

A reidratação oral com água é a melhor opção em muitos casos.

É vital ouvir seu corpo e beber água ao longo do dia. A água é a melhor maneira de prevenir e vencer a desidratação.

Consumir de 8 a 10 copos de água diariamente é geralmente suficiente para a maioria manter níveis saudáveis de eletrólitos e evitar sintomas de desidratação.

Mas, fatores como sua dieta, idade, nível de atividade física e tamanho do corpo determinam quanta água você precisa, por isso é muito útil ficar de olho nos sintomas de desidratação.

Então, qual é quantidade adequada de água?

Uma boa regra é beber o suficiente para urinar pelo menos a cada três ou quatro horas e verificar a cor da sua urina que deve ser de um amarelo pálido.

Portando a cor da sua urina pode ser um bom indicativo se você está bebendo água o suficiente.

Tenha em mente que as mulheres que estão grávidas ou amamentando precisam de fluidos adicionais (cerca de 10 a 13 copos todos os dias) para se manterem hidratadas e prevenirem deficiências, assim como adolescentes que estão crescendo e se desenvolvendo mais rápido do que pessoas de outras idades.

Qualquer pessoa que tome antibióticos, diuréticos, pílulas hormonais, medicamentos para pressão arterial e fazem tratamentos contra o câncer também pode ficar desidratado mais facilmente, então líquidos extras são uma boa ideia.

A ingestão de água pura em quantidades suficientes pode causar melhoras significativas na sua vida e saúde.

Adote esse hábito e sinta os benefícios!

Estudo sugere que baixa hidratação pode contribuir para obesidade

Pesquisadores encontraram uma associação significativa entre hidratação inadequada e índice de massa corporal (IMC) elevado e obesidade, mesmo após o controle para outras variáveis, de acordo com um estudo publicado na edição de julho/agosto do periódico Annals of Family Medicine.

“Nossos resultados sugerem que a hidratação adequada pode ter um papel no peso e suscitam discussões sobre hidratação adequada durante o aconselhamento nos tratamentos de perda de peso”, escrevem a Dra. Tammy Chang, do Departamento de Medicina de Família da University of Michigan, em Ann Arbor, e colaboradores.

Se as pessoas obesas não estão se hidratando de forma adequada ou estão comendo quando pensam que estão com fome, mas na verdade estão com sede, educar os pacientes pode ajudá-los a diferenciar as pistas, continuam os autores.

Eles observaram que adultos que eram inadequadamente hidratados tinham IMCs maiores do que aqueles com hidratação adequada (1,32 kg/m2 a mais na média; intervalo de confiança de 95%, 0,85 – 1,79 2; P < 0,001), bem como tinham probabilidade maior de serem obesos (OR, 1,59; IC de 95%, 1,35 – 1,88; P < 0,001).

Embora a ingesta hídrica surja com frequência nas discussões sobre perda de peso entre médicos e seus pacientes, bem como na mídia, a hidratação adequada não está incluída em diretrizes de tratamento.

Necessidade de água aumenta com IMC elevado

Os autores observam que os médicos podem não estar cientes de que pessoas com IMCs maiores precisam de mais água, e podem não estar aconselhando seus pacientes de forma adequada quanto à quantidade de hidratação.

“Indivíduos obesos têm maior necessidade de água do que os não obesos porque essa necessidade depende da taxa metabólica, da área de superfície corporal e do peso corporal”, explicam eles.

Os autores também observam que desidratação está associada:

  • A pior saúde mental, física e emocional;
  • Pode afetar o desempenho em tarefas que necessitam atenção, habilidades psicomotoras e memória.
  • Piora no humor
  • Cefaleia e
  • Função renal ruim

O Dr. Ícaro Alves Alcântara já fala há vários anos sobre os benefícios de uma hidratação adequada. Faça um favor para a sua saúde e tome um copo de água por hora.

Assista meu vídeo com mais dicas para manter bons hábitos de vida

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

O que é Alergia e Rinite Alérgica?

O que é Alergia e Rinite Alérgica? A principal função do nosso sistema imunológico é nos proteger de antígenos (substâncias estranhas ao organismo que desencadeiam...

Incontinência urinária – 6 tipos mais comuns e tratamentos

Incontinência urinária - 6 tipos mais comuns e tratamentos A incontinência urinária afeta 23-31% da população idosa e estima-se que afete 50-65% de ambos os...

Hormônios e ligação com Artrite

Hormônios e ligação com Artrite As doenças autoimunes são mais comuns em mulheres do que em homens e as condições inflamatórias autoimunes artríticas têm tendência...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect