Casos de medicações retiradas de circulação por efeitos colaterais graves e mortes. 

Casos de medicações retiradas de circulação por efeitos colaterais graves e mortes

As 4 medicações retiradas de circulação por seus efeitos colaterais graves e mortais!

O escândalo do medicamento talidomida

Medicações Retiradas de Circulação - Talidomida

A talidomida começou a ser comercializada no fim dos anos 1950 como uma “droga mágica” contra náuseas, dores de cabeça e insônia.

Era especialmente indicada para gestantes porque combateria o enjoo da gravidez. A marca Contergan foi a primeira do fármaco a ser lançada no mercado e não demorou a se transformar em um dos medicamentos líderes de vendas.

A talidomida foi criada pelo médico alemão Heinrich Mückter, que participou dos experimentos nos campos nazistas onde drogas e vacinas inventadas por ele foram testadas em prisioneiros sem consentimento levando muitos a morte.

No Brasil, o medicamento era fabricado pelo Instituto Pinheiros, em uma cooperação com a alemã Chemie Grünenthal, aqui assumindo o nome Sedalis – depois vendido também com outros nomes, como Sedalis 100, Sedin e Slip.

O problema era que ela tinha entre seus efeitos colaterais o de produzir malformação fetal, e os primeiros relatos desses efeitos foram totalmente ignorados pelo fabricante.

O principal efeito colateral grave da medicação era a focomelia, uma atrofia congênita dos braços e das pernas que faz com que os membros sejam mais curtos e, frequentemente, deformados. Há também casos de malformações nos órgãos internos.

Só em 1962, depois de muita pressão, o medicamento foi retirado do mercado. Mais de 10 mil bebês em 45 países foram afetados, e metade morreu.

Aqui no Brasil várias famílias com crianças afetadas recebem indenização vitalícia da empresa Alemã.

Esse é o primeiro da lista das medicações retiradas de circulação.

Caso do medicamento Vioxx

Medicações Retiradas de Circulação - Vioxx

O Vioxx, fabricado pela Merck e prescrito para artrite e dor aguda, foi retirado de circulação em 2004 por provocar ataques cardíacos e AVCs com o uso continuo.

Nos 5 anos em que circulou nas farmácias, pelo menos 47 mil pessoas morreram ou sofreram lesões irreversíveis usando a medicação – um número ainda mais notável do que o caso da talidomida – mas em plena vigência das regulamentações oficiais da droga.

E ninguém sabe exatamente quantas pessoas mais realmente morreram.

Medicações retiradas de circulação – Campeão de vendas

O Vioxx era um dos campeões de vendas no mundo, com mais de 80 milhões de consumidores.

No Brasil, apenas alguns meses antes de ele ser retirado do mercado, a IstoÉ Dinheiro informava que o remédio havia acabado de “interromper 20 anos consecutivos de liderança do poderoso Cataflam, da Novartis”.

Ainda segundo a matéria, ele custou US$1 bilhão para ser desenvolvido e rendia US$1,26 bilhão por ano.

E, para constar: em 2007, a Merck aceitou pagar US$ 4,85 bilhões em indenizações, mas mesmo assim teve um lucro de US$ 3,3 bi naquele ano.

Depois que a Merck foi processada pelas complicações com o Vioxx, documentos mostraram que a empresa conhecia muito bem os riscos da medicação havia anos.

Link do estudo:

Paxil e a onda de suicídio 

Medicações Retiradas de Circulação - Paxil

Esse é o terceiro da lista das medicações retiradas de circulação.

Paxil, antidepressivo da gigante farmacêutica GSK (GlaxoSmithKline) cuja eficácia e segurança para uso em crianças e adolescentes foi “garantida” pela fabricante através de um ensaio fraudulento.

A fraude só foi descoberta quando a GSK foi processada… E então se soube que os estudos revelando a ineficácia haviam sido ocultados.

Pior ainda, entre os dados ocultados estava o fato que “pelo menos oito crianças tornaram-se suicidas tomando Paxil, em seu estudo”. Entre 2001 e 2005, haviam sido feitas cinco milhões de prescrições por ano desse remédio para menores de idade.

Milhares de crianças, adolescentes e adultos tentaram ou cometeram suicídio enquanto estavam usando Paxil em vários países.

Entre outras acusações, o laboratório GSK também teria cometido irregularidades na rotulação do antidepressivo Wellbutrin e deixado de informar aos usuários do Avandia, de maneira destacada na sua embalagem, os riscos do remédio provocar ataque cardíaco.

Caso da droga para Diabetes Avandia e seus efeitos colaterais 

Medicações Retiradas de Circulação - Avandia

O medicamento para diabetes Avandia (Rosiglitazona) chegou ao mercado em 1999 e rapidamente se tornou um medicamento de sucesso.

Em 2006, sua receita anual era de mais de US $ 3 bilhões, mas isso mudou após um estudo alarmante publicado no New England Journal of Medicine (NEJM) em 2007.

O medicamento foi associado no estudo, a riscos significativamente aumentados de ataque cardíaco e morte cardiovascular, o que levou o FDA a restringir o acesso ao medicamento em 2010.

Em resposta a essa e às subsequentes evidências relacionadas, a Europa baniu o Avandia, retirando-o completamente do mercado.

Revisão do pedido de restrição

A FDA Americana anunciou que está revendo essas restrições para permitir o amplo acesso ao medicamento mais uma vez.

A decisão foi baseada na revisão de um estudo de 2009, conduzido pelo fabricante do medicamento, GlaxoSmithKline.

Embora a GSK tenha dito que os dados de segurança eram tranquilizadores, o estudo foi duramente criticado pelo Dr. Thomas Marciniak, um cientista da FDA que revisou os dados e disse que a empresa ignorou vários casos de pacientes que sofreram efeitos adversos graves.

Preocupações também foram levantadas em 2010, quando o New York Times revelou que a GSK não apenas escondeu dados negativos do estudo, mas também manipulou dados do estudo para seu benefício.

Em 2010 a Anvisa suspendeu o uso do medicamento em todo o País.

A GSK se declarou culpado de fraude em 2012 por não relatar problemas de segurança com o Avandia.

Saber quantas pessoas foram afetadas de verdade? Nunca saberemos, infelizmente!

Os medicamentos não são a solução para “curar” o diabetes tipo 2.

Em muitos casos, mudanças na dieta e no estilo de vida podem prevenir e até mesmo reverter essa condição com sucesso.

 

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

O que é intolerância alimentar e como diferenciar de alergia alimentar

O que é intolerância alimentar e como diferenciar de alergia alimentar Aprenda a diferenciar a intolerância alimentar da alergia alimentar. Se você está experimentando sintomas vagos...

Aducanumabe – Mais uma demonstração do poder da indústria farmacêutica

Aducanumabe - Mais uma demonstração do poder da indústria farmacêutica Recentemente, foi aprovado o Aducanumabe pelo FDA (órgão regulatório americano) para o tratamento da Doença...

Problemas no sistema imunológico – 7 disruptores intestinais que prejudicam o sistema imune

Problemas no sistema imunológico O nosso sistema imunológico é responsável por identificar ameaças, tais como bactérias infecciosas, vírus e toxinas que ameaçam a nossa saúde. Ele...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect