95% das comidas para bebês contém metais tóxicos aponta estudo recente

95% das comidas para bebês contém metais tóxicos, aponta estudo recente

Nesse artigo vou abordar um assunto muito polêmico e que muitos médicos são totalmente ignorantes em relação a intoxicação ambiental.

Acreditam que se trata de fatos raros e só reconhecem as intoxicações maciças agudas e não reconhecem as crônicas que são infinitamente mais comuns.

Você se depara com centenas de toxinas ambientais a cada dia que estão entrando em contato com sua pele e pulmões. A pele é o maior órgão do corpo.

O que fica em contato com a pele acaba entrando dentro de você.

Algumas dessas toxinas entram em nossos corpos e deixam nossa corrente sanguínea muito rapidamente e são eliminadas, enquanto outras são armazenadas por décadas em nossos tecidos.

É por isso que algumas toxinas são trans-geracionais, o que significa que as toxinas que estão no seu corpo serão transmitidas de uma geração a outra e as toxinas em seu corpo podem ter vindo de gerações anteriores a você.

Mesmo que você não se exponha ao chumbo esse é um daqueles elementos que podem ser transmitidos de mãe para filho.

Novo estudo

Um novo estudo realizado pela Healthy Babies Bright Futures nos EUAS, testou 168 produtos de comida de bebê de 61 marcas diferentes para contaminantes de metais pesados.

Os pesquisadores descobriram que 95% dos produtos continham arsênico, chumbo, cádmio ou mercúrio.

26% dos alimentos testados continham todos os quatro metais juntos e apenas 5% das testadas, continham zero de metais.

Quais os problemas que essa contaminação pode trazer para meu filho?

Como mencionai anteriormente, estamos cercados de produtos contaminantes, podemos carregar de geração em geração, receber de mãe para filho.

Além disso também estamos desde pequenos comendo alimentos industrializados e contaminados.

O contato com esses elementos podem prejudicar o Quociente de inteligência (QI), causar problemas de desenvolvimento e comportamento, além de interferir na atuação de rins e fígado.

Especialistas indicam que as crianças mais novas, especialmente bebês, estão mais vulneráveis a esses efeitos negativos já que o cérebro e outros órgãos ainda não estão completamente formados.

Além disso, consumir esses metais tóxicos também pode causar problemas comportamentais, como o TDAH.

De acordo com este novo estudo, o chumbo e o arsênico estão mais presentes, principalmente nos alimentos à base de arroz, as papinhas, leites, bolachas, cereais, sucos e fórmulas, foram os com níveis mais altos de metais.

O que devo fazer para evitar?

A orientação dos especialistas é trocar alimentos a base de arroz por aveia, quinoa, frutas, como abacate, banana, legumes variados, por exemplo, desde que estejam bem amassados para evitar que a criança engasgue.

Para quem se interessar vou disponibilizar em meu site, o PDF completo com a descrição do estudo da Healthy Babies Bright Futures. O Manual tem dicas de alimentação e substituição de alimentos para crianças.

https://www.healthybabyfood.org/sites/healthybabyfoods.org/files/2019-10/BabyFoodReport_FULLREPORT_ENGLISH_R5b.pdf

36ba000bbef6eff0bba1f0259a77102f?s=96&r=g
Dr. Alain Dutrahttps://artigos.alainuro.com
Dr. Alain Dutra é médico urologista e aplica a Medicina Funcional, Integrativa e de Estilo de vida e princípios ortomoleculares.

More from author

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Últimos artigos

O que é Alergia e Rinite Alérgica?

O que é Alergia e Rinite Alérgica? A principal função do nosso sistema imunológico é nos proteger de antígenos (substâncias estranhas ao organismo que desencadeiam...

Incontinência urinária – 6 tipos mais comuns e tratamentos

Incontinência urinária - 6 tipos mais comuns e tratamentos A incontinência urinária afeta 23-31% da população idosa e estima-se que afete 50-65% de ambos os...

Hormônios e ligação com Artrite

Hormônios e ligação com Artrite As doenças autoimunes são mais comuns em mulheres do que em homens e as condições inflamatórias autoimunes artríticas têm tendência...

Assine nosso newsletter e receba as últimas notícias direto em seu e-mail

spinner
loading...
error icon
redirect